Astrônomos descobrem uma nova lua orbitando Plutão

P4 foi descoberta por acaso pelo telescópio Hubble. O satélite natural é o menor dos quatro que orbitam o planeta-anão, com diâmetro estimado entre 13 e 34 km

Enquanto usavam o telescópio Hubble para buscar anéis em volta de Plutão, os astrônomos envolvidos na pesquisa descobriram uma quarta lua orbitando o gelado planeta-anão. O pequeno satélite natural, temporariamente chamado de P4, é a menor lua que orbita Plutão e tem um diâmetro estimado entre 13 e 34 quilômetros. Para se ter uma ideia, Charon, a maior lua de Plutão, possui 1.043 quilômetros de diâmetro – e as outras luas, Nix e Hidra, têm entre 32 e 113 quilômetros.

A imagem da Nasa mostra duas fotografias tiradas pelo Hubble que comprovam a existência da nova lua: uma no dia 28 de junho (à esquerda) e outra no dia 3 de julho

P4 foi vista pela primeira vez em uma foto tirada no dia 28 de junho, e a existência do astro foi confirmada em fotos posteriores. A lua não tinha sido vista antes porque o tempo de exposição usado foi menor. É possível se ver P4 como uma mancha fraca em imagens tiradas pelo telescópio em 2006, mas que foram ignoradas.

O astrônomo Mark Showalter, chefe da pesquisa, ficou espantado com a descoberta: “É impressionante que o Hubble tenha nos permitido enxergar um objeto tão pequeno a mais de cinco bilhões de quilômetros de distância”. Ela é resultado do trabalho que vem sendo feito para dar suporte à missão New Horizons, programada para chegar a Plutão em 2015. A missão pretende revelar segredos sobre os “mundos” que existem no limite do Sistema Solar.

O mapeamento da superfície de Plutão e a descoberta de suas luas pelo telescópio Hubble são conquistas inestimáveis para o planejamento da aproximação da sonda New Horizons, afirmou a Nasa em um comunidado. “Agora que sabemos que há outra lua no sistema de Plutão, poderemos incluí-la em nossas observações durante a passagem da sonda”, disse Alan Stern, cientista chefe da missão New Horizons.

“Essa descoberta é um poderoso lembrete de como o Hubble pode servir como um observatório astronômico multitarefa, capaz de fazer descobertas fantásticas, mesmo sem querer”, disse Jon Morse, diretor de astrofísica da Nasa.

A nova lua fica entre as órbitas de Nix e Hidra, descobertas pelo Hubble em 2005. Charon foi descoberta em 1978 no observatório da marinha americana e visualizada pela primeira vez como um corpo separado de Plutão usando o telescópio Hubble, em 1990.

Cientistas acreditam que colisões de pequenos asteroides com os satélites naturais de Plutão formaram anéis em volta do planeta-anão. Contudo, o Hubble ainda não conseguiu encontrá-los.