Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Arqueólogos revelam mais antigo calendário maia já encontrado

Registros matemáticos do século IX mostram que os maias já relacionavam a contagem dos dias com a Lua e os planetas do Sistema Solar

Um estudo que será publicado na revista Science nesta sexta-feira mostra o mais antigo calendário maia já encontrado. Pesquisadores da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, encontraram um quarto repleto de pinturas em um templo na antiga cidade de Xultún, na Guatemala. Os desenhos mostram registros numéricos de ciclos lunares e possivelmente planetários que estão relacionados ao calendário maia.

Saiba mais

CALENDÁRIO MAIA E O FIM DO MUNDO

A crença de que os maias previram o fim do mundo para 21 de dezembro de 2012 está errada. Os maias acreditavam que houve três mundos antes do atual. A mesma contagem de dias que serviu para descrever o ciclo de cada mundo chega ao fim no dia 21 de dezembro de 2012. Contudo, não há evidências de que os maias acreditavam que essa data representa o apocalipse.

LEIA: Calendário maia não profetiza fim do mundo

As ilustrações datam do século IX. O achado é mais antigo que os códices maia, livros escritos em papel primitivo centenas de anos antes da chegada dos espanhóis no século XVI. O quarto descrito pelos arqueólogos faz parte de um complexo residencial maior e aparenta ter cálculos semelhantes em duas de suas paredes. A maior parte do local foi danificada por saqueadores, mas muitas figuras humanas e hieróglifos desenhados em preto e vermelho foram preservados.

A parede a leste tem cálculos relacionados ao ciclo lunar. Os cálculos na estrutura a norte são mais enigmáticos e podem se relacionar a Marte, Mercúrio e possivelmente Vênus. “Pela primeira vez observamos o registro de um escriba, cujo trabalho era anotar as informações da comunidade”, disse o arqueólogo William Saturno, chefe da pesquisa.

De acordo com os pesquisadores, este é o primeiro registro maia encontrado nas paredes de uma casa. “Existem figuras por toda a parede no mesmo estilo que só aparece em um registro maia chamado Códice Dresden, escrito séculos depois”, disse David Stuart, especialista em escrita mesoamericana pela Universidade de Texas, coautor do estudo.

Alguns dos números descrevem fases da Lua e outros reconciliam períodos lunares com o calendário solar. “Era uma forma de prever os eclipses”, disse Saturno. “O mais empolgante é que agora sabemos que os maias faziam esses cálculos centenas de anos antes do que foi registrado nos códices.”

Guatemala

Os arqueólogos encontraram o quarto maia na região de Petén, na Guatemala. O recinto fica dentro de uma casa em um complexo residencial muito maior, que abrigou dezenas de milhares de pessoas no século IX.