Água da Lua tem a mesma origem que a da Terra

Análise química de rochas lunares mostra que a água teria vindo de pequenos meteoritos chamados condritos carbonáceos, que atingiram a região cerca de 100 milhões de anos após a formação do sistema solar

Uma pesquisa publicada nesta quinta-feira na revista Science mostrou que a água presente na Lua tem a mesma origem que a encontrada no planeta Terra. Ambas teriam sido trazidas por pequenos meteoritos chamados condritos carbonácios, que atingiram a região cerca de 100 milhões de anos após a formação do Sistema Solar. Os pesquisadores chegaram a essa conclusão após analisar a composição química de rochas lunares coletadas durante as missões Apollo 15 e 17, realizadas no começo da década de 1970, e perceber que ela era semelhante à da água encontrada na Terra e nos meteoritos.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Hydrogen Isotopes in Lunar Volcanic Glasses and Melt Inclusions Reveal a Carbonaceous Chondrite Heritage

Onde foi divulgada: periódico Science

Quem fez: Alberto E. Saal, Erik H. Hauri, James A. Van Orman, Malcolm J. Rutherford

Instituição: Universidade Brown, nos Estados Unidos

Dados de amostragem: Amostras de solo lunar trazidos pelas missões Apollo 15 e 17

Resultado: Os pesquisadores comparam as proporções de deutério e hidrogênio nessas amostras com as encontradas na água da Terra. Eles descobriram que elas são semelhantes, e possivelmente teriam vindo de condritos carbonáceos, meteoritos que atingiram a região há bilhões de anos

Segundo pesquisas anteriores, a Lua teria se formado a partir de um disco de detritos expelido quando um corpo imenso – do tamanho de um planeta – atingiu a Terra, há cerca de 4,5 bilhões de anos. Os cientistas assumiam que o calor provocado por esse impacto teria feito com que todo o hidrogênio presente no local atingido evaporasse, e a Lua fosse um satélite completamente seco. Pesquisas recentes da Nasa, no entanto, mostraram que a Lua possui água tanto em sua superfície quanto em seu interior.

Ao mostrar que a água presente na Lua e na Terra tem a mesma origem, o estudo oferece evidências de que o satélite nunca – ou por muito pouco tempo – esteve seco. “A explicação mais simples para o que encontramos é que já existia água na Terra na época do impacto gigantesco. Um pouco dessa água teria sobrevivido ao impacto, e é isso que vemos na Lua”, diz Alberto Saal, a geoquímico de Universidade Brown, nos Estados Unidos, e um dos autores da pesquisa. Outra hipótese é que tanto a Lua quanto a Terra teriam sido atingidos pela mesma família de meteoritos pouco tempo depois de terem se separado.

Cometas contra meteoritos – Para descobrir a origem da água na Lua, os pesquisadores analisaram fragmentos de rochas vulcânicas coletadas pelas missões da Nasa. Como esses pequenos fragmentos estavam encapsulados dentro de cristais, a água não evaporou com o passar do tempo, mantendo uma composição semelhante a que deve ser encontrada no interior do satélite. Uma pesquisa de 2011 já havia mostrado que essas rochas possuem muita água – em quantidade semelhante à encontrada em rochas vulcânicas formadas no fundo dos oceanos da Terra.

John Armstrong, Geophysical Laboratory, Carnegie Institution of Washington

fragmento

Imagem do fragmento de rocha lunar analisado, preso dentro de um cristal

Os cientistas compararam a quantidade de hidrogênio presente nessas amostras com a de deutério – um isótopo do hidrogênio, com um nêutron a mais que o elemento original. Os pesquisadores já sabiam que as moléculas de água originadas em diferentes locais do Sistema Solar têm diferentes proporções de deutério em sua composição. Em geral, as amostras formadas mais perto do Sol têm uma quantidade menor do elemento do que as formadas em locais distantes.

Como resultado das análises, os pesquisadores descobriram que as proporções de deutério e hidrogênio nas amostras lunares eram relativamente baixas, semelhantes às encontradas na água terrestre e nos condritos carbonáceos. Esses meteoritos são originários do Grande Cinturão de Asteroides entre Marte e Júpiter e são conhecidos como alguns dos objetos mais antigos do sistema solar.

Uma outra teoria que existia para explicar a origem da água na Lua e na Terra é que ela teria vindo de cometas – que também são conhecidos por carregar a substância. No entanto, a maioria deles é formada em regiões muito distantes, nos extremos do Sistema Solar, e possuem proporções muito grandes de deutério. “Essa medidas foram muito difíceis de obter, mas esses dados são as melhores evidências que possuímos até agora de que os condritos foram a fonte comum de água na Terra e na Lua – e talvez até em todo o Sistema Solar”, diz Erik Hauri, pesquisador do Instituto Carnegie de Ciências, nos Estados Unidos, que também participou do estudo.