Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Valadares presidirá conselho que decidirá sobre cassação de Demóstenes Torres

PMDB desistiu de indicar nome por falta de candidatos e senador do PSB foi convocado por ser o membro mais velho do conselho

Sem candidatos para a vaga, o PMDB desistiu de indicar o presidente do Conselho de Ética do Senado e assumirá o cargo o integrante mais velho do grupo, Antonio Carlos Valadares (PSB-SE). A reunião do conselho, marcada para às 14 horas desta terça-feira, decidirá sobre a abertura de processo disciplinar contra o senador Demóstenes Torres (sem partido -GO). Acusado de manter relações suspeitas e trocar favores com o contraventor Carlos Cachoeira, o senador pode ter o mandato cassado pelos colegas. O Psol pediu a abertura de processo contra Demóstenes no fim de março.

“Não gosto de julgar colegas, mas aceitarei a missão”, disse Valadares. A decisão de nomear o socialista para presidir o conselho foi tomada durante reunião entre o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), e os líderes do PMDB, Renan Calheiros (AL), do PT, Walter Pinheiro (BA), do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), e do governo no Congresso, José Pimentel (PT-CE). A cúpula do PMDB cogitou nomear o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) para o cargo, mas ele preferiu continuar presidindo a Corregedoria da Casa.

O Conselho de Ética do Senado está sem presidente desde que o senador João Alberto (PMDB-MA) licenciou-se para assumir um cargo no governo do Maranhão. O senador Jayme Campos (MT) assumiu interinamente a presidência, mas deixará o posto por ser filiado ao DEM, partido pelo qual Demóstenes foi eleito.