USP divulga imagens que mostram a invasão da reitoria

Vídeo revela momento em que estudantes da FFLCH ocupam o prédio


A reitoria da Universidade de São Paulo (USP) divulgou nesta quinta-feira dois vídeos que mostram o instante em que os manifestantes da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) invadiram o prédio da administração central, na última terça-feira, dia 1º. Nas imagens, os jovens arrombam um portão e depredam as instalações da reitoria. Em seguida, destroem as câmeras de segurança.

Nesta quinta-feira, os alunos continuam acampados no local. A reitoria anunciou na noite desta quarta-feira que pedirá à Justiça a reintegração de posse do edifício. Caso os alunos não concordem em se retirar, a Polícia Militar será acionada para cumprir a ordem.


Histórico – O prédio da reitoria da universidade foi invadido nesta terça-feira, depois que uma assembleia de estudantes decidiu, por 559 a 458 votos, que o prédio da administração da FFLCH, ocupado desde quinta-feira, 27, deveria ser entregue. Inconformado com a derrota na votação, um grupo de quase cem alunos decidiu trasferir a ocupação para a reitoria.

A invasão da FFLCH ocorreu depois que três estudantes do curso de Geografia foram flagrados por policiais militares com maconha dentro do câmpus. Os invasores pedem o fim do convênio entre a PM e a USP – firmado em setembro deste ano – e a extinção de processos internos contra funcionários e estudantes.

Ontem, a reitoria divulgou uma nota para avisar que pedirá na Justiça a reintegração de posse: “É importante destacar que, por dever legal, o gestor público tem obrigação de pedir a reintegração de posse do imóvel invadido”, diz o texto. “O deferimento da reintegração deverá ser analisado pelo juiz. Ressalte-se também que espera-se, entretanto, que a situação se resolva sem que sua execução seja necessária”.

LEIA TAMBÉM:

Os tumultos causados pelos rebeldes sem causa da USP

Polícia só desocupará prédios da USP com ordem do reitor

Reitoria pedirá a reintegração de posse de prédio invadido

USP aceita negociar com invasores da FFLCH