Universitário morre após ingerir 25 doses de álcool

Estudante de engenharia da Unesp entrou em coma alcoólico após participar de uma competição para ver quem bebia mais álcool

Uma festa universitária regada a muito álcool terminou em uma morte causada por coma alcoólico e dois presos neste final de semana, em Bauru, no interior de São Paulo. O estudante de engenharia elétrica da Unesp Humberto Moura Fonseca, de 23 anos, morreu ao ingerir pelo menos 25 doses de vodca. Segundo as investigações da polícia, ele participava de uma competição para ver quem conseguia beber mais álcool. Outros seis universitários, que participavam da mesma festa, passaram mal e foram internados – três continuavam internados na noite deste domingo, em estado grave: Mateus Carvalho, de 19 anos; Gabriela Alves Correa, 23, e Juliana Tibúrcio Gomes, 19.

“O rapaz que morreu bebeu pelo menos 25 copinhos plásticos de vodca e passou mal. O campeão da competição tomou 30 copinhos e está em estado grave”, explicou o delegado Mário Henrique de Oliveira Ramos, da Central de Polícia Judiciária. O evento, chamado de Inter Reps, foi organizado por diferentes repúblicas de alunos da Unesp e era “open bar”, quando se oferece bebida à vontade mediante um preço fixo. O delegado também questionou o fato de não haver uma estrutura, com enfermaria e ambulância, no local para atender eventuais emergências. “Não havia nenhuma estrutura para socorrer as vítimas”, afirmou. Fonseca chegou ainda a ser socorrido, mas morreu no hospital. O seu corpo foi sepultado neste domingo na cidade mineira de Passos (MG), onde a sua família mora.

Dois organizadores, que não tiveram os nomes divulgados pela polícia, foram presos sob acusação de homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar, e depois liberados. “Eles são de duas repúblicas envolvidas na promoção da festa. Nós enviamos ao juiz o pedido de prisão em flagrante por homicídio com dolo eventual. O advogado deles conseguiu a liberação na Justiça. Ambos vão responder ao processo em liberdade e também responderão pelo estado das outras vítimas”, afirmou o delegado.

A Unesp lamentou, em nota, a morte do estudante e destacou que a festa ocorreu fora de suas dependências. “No câmpus, a bebida alcoólica é proibida”, informou o comunicado.

(Com Estadão Conteúdo)