Testemunha de Cunha, Temer vai depor por escrito a Moro

Presidente enviou ofício ao juiz da Lava Jato informando sua opção. Lula, Delcídio e Bumlai, entre outros, também foram arrolados pelo ex-deputado

Arrolado como testemunha de defesa pelo ex-deputado federal e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, o presidente Michel Temer informou ao juiz federal Sergio Moro que vai enviar seu depoimento por escrito. O testemunho de Temer se dará na ação penal em que Cunha é réu na Operação Lava Jato por corrupção, lavagem de dinheiro e evasão de divisas no recebimento de propina pela venda à Petrobras de um campo de petróleo no Benin, na África. O ex-deputado está preso em Curitiba desde outubro.

“Informo que exercerei a faculdade processual da prestação de depoimento por escrito, conforme previsto no artigo 221, §1º, do Código de Processo Penal”, escreveu o presidente no ofício encaminhado à 13ª Vara Federal de Curitiba na última quarta feira. O documento foi disponibilizado no sistema eletrônico de processos nesta sexta-feira.

Veja também

Além de Michel Temer, a defesa de Eduardo Cunha arrolou outras 22 testemunhas de defesa, incluindo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-senador Delcídio do Amaral, o pecuarista José Carlos Bumlai e os ex-diretores da Petrobras Nestor Cerveró e Eduardo Musa.

Outros peemedebistas, como o vice-governador de Minas Gerais, Antonio Andrade, os deputados federais Saraiva Felipe, Leonardo Quintão e Mauro Lopes, bem como o deputado estadual mineiro João Lúcio Magalhães Bifano, também deverão depor.

Três das testemunhas arroladas por Cunha — Mary Kiyonaga, Elisa Mailhos e Luiz Maria Peneyrua – foram vetadas por Sergio Moro por residirem na Suíça.