Suzane deixa a cadeia em saída temporária para o Dia das Mães

Beneficiada por determinação judicial, a jovem deverá retornar à unidade na próxima terça, dia 16. Ela foi condenada por tramar o assassinato dos pais

Condenada a 39 anos de cadeia por tramar o assassinato dos pais, Suzane von Richthofen deixou a prisão temporariamente beneficiada pela saída do Dia das Mães. Ela saiu da penitenciária feminina de Tremembé, no interior de São Paulo, na manhã desta sexta-feira e deverá retornar à unidade na próxima terça, dia 16.

De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo (SAP), a saída temporária é um benefício previsto em lei, e os condenados em regime semiaberto que possuem bom comportamento podem obter autorização para saída temporária, sem vigilância. A saída temporária libera o detento por até sete dias durante cinco vezes ao ano. Para sair, Suzane precisou informar um endereço fixo que não foi divulgado pela SAP.

No ano passado, Suzane disse à Justiça que ficaria na rua Coronel Ludovico Homem de Góes, em Angatuba (SP), na casa de amigos. No local, porém, funciona uma loja de tecidos.  Com a mentira, ela voltou a ser presa dois dias antes do prazo. Na época, Suzane perdeu o direito às saídas temporárias devido a “falta disciplinar de natureza grave” por meio de medida provisória.

O advogado Rui Freire, defensor de Suzane, disse à época que entraria com recurso. Segundo ele, a detenta informou que iria para a casa de uma amiga que conheceu no presídio, em Angatuba, região de Itapetininga, mas o endereço na ficha da presa estava desatualizado. Procurado, o Tribunal de Justiça de São Paulo não soube informar se a medida foi revogada e aguarda resposta da juíza do caso.

O crime

Os pais de Suzane, Manfred e Marísia von Richthofen, foram assassinados em casa enquanto dormiam, em outubro de 2002. Suzane e Daniel Cravinhos foram os mentores do crime e contaram com a ajuda do irmão de Daniel, Christian Cravinhos, para executá-los. Os irmãos foram condenados a 39 e 38 anos de prisão, respectivamente, e cumprem pena em regime semiaberto desde 2013 na Penitenciária Doutor José Augusto Salgado, em Tremembé.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Depois esses bandidos de toga querem que a justiça seja respeitada.
    A criminosa exterminou o pai e mãe e ainda é solta, exatamente, no dia em que se comemora uma data sagrada em homenagem nas Mães.
    Essas leis que são feitas por vagabundos, ladrões, FDP, precisa mudar.

    Curtir

  2. A liberdade concedida é para visitar o túmulo da mãe que ela assassinou. A cada dia que passa parece que fica mais evidente que as leis brasileiras têm como objetivo maior proteger delinquentes

    Curtir

  3. Luís Renato Queiroz

    Meritíssima : como você vai explicar esse seu ato para seus filhos ?

    Curtir

  4. edison vieira de resende

    É aquela história: matou a mãe e saiu de folga!!

    Curtir

  5. José Carlos Lopes de Oliveira

    Esse(a) juiz(a) que autorizou essa excrescência, merece o premio maior do cinismo e falta de vergonha na cara. Até quando essa gente vai zombar da sociedade brasileira? Aposto que muito em em breve essa infeliz pessoa estará sentada num dos “tronos” do descarado STF.

    Curtir

  6. Pacífico Guerra

    Tá certo, matou a mãe e agora vai comemorar. É por esse tipo de coisa que a gente fica sem acreditar na justiça.

    Curtir

  7. Artur Britto

    Espero que o trouxa do cara que namora a Suzane, morra de pauladas, quando estiver dormindo ao lado dessa assassina.

    Curtir

  8. Sergio Augusto

    Força Suzane, vc tem todo direito de recomeçar uma nova vida !!!

    Curtir

  9. Sandro Pelegrineti de Pontes

    Sérgio, voce

    Curtir

  10. Sandro Pelegrineti de Pontes

    Sérgio, você falou em “vida” ou eu li errado? Se ela tivesse matado sua filha você diria isso?

    Curtir