Sobe para 14 o número de mortes no Espírito Santo

Defesa Civil do Estado tem dificuldade para chegar aos municípios atingidos; presidente Dilma Rousseff sobrevoou as áreas afetadas com o governador Renato Casagrande

O número de mortes causadas pelas chuvas no Espírito Santo subiu para 14, segundo informações da Defesa Civil do estado. De acordo com o órgão, ainda há pessoas desaparecidas. Devido às condições de deslocamento e comunicação no estado por causa dos temporais, a Defesa Civil está com dificuldades para obter informações atualizadas das defesas civis municipais. Conforme os últimos dados do órgão, há 45 feridos e 49 mil desabrigados.

Pelo Twitter, a presidente Dilma Rousseff disse que o governo agirá para liberar todos os recursos necessários para resgatar as pessoas, salvar as vidas e abrigar as famílias atingidas. Em 10 posts, a presidente explicou que os governos precisam se concentrar nas medidas imediatas para tratar as consequências das chuvas que afetam o estado nos últimos dias. E anunciou a liberação imediata de 608 milhões de reais para os municípios enfrentarem o desastre.

“Em seguida, vamos reconstruir as cidades e os municípios alagados – reconstruir estradas, hospitais, escolas, moradias. Vamos, ainda, realizar as obras estruturantes de prevenção necessárias: barragens, proteção de encostas, drenagem urbana para que diante de um período de chuvas dessa dimensão não tenhamos uma tragédia como essa”, disse Dilma.

Leia também:

O Natal de quem perdeu tudo nas chuvas do Rio

Dilma sobrevoa área inundada no Espírito Santo

Sobrevoo – Dilma viajou para o estado no início da manhã de terça-feira, onde fez um sobrevoo com o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, sobre as regiões mais afetadas. Dilma e Casagrande se reuniram logo depois para ouvir agentes da Defesa Civil estadual, que estão atuando na busca e salvamento de vítimas.

O município mais afetado é Itaguaçu, um dos 45 que tiveram a situação de emergência decretada nesta terça-feira pela Defesa Civil nacional. Os 3 mil kits dormitório, de limpeza e de higiene pessoal disponibilizados pelo governo federal já estão sendo distribuídos para as cidades mais afetadas. Outros dez kits com 30 tipos de medicamentos e 18 insumos para primeiros-socorros também serão enviados pelo Ministério da Saúde. Cada kit é suficiente para atender a 1,5 mil pessoas pelo período de um mês.

Continua chovendo em vários municípios capixabas e a previsão é que as chuvas permaneçam, pelo menos, até domingo (29). A Defesa Civil Estadual mantém o alerta em função do solo encharcado que pode provocar novos deslizamentos e alagamentos em vários municípios.

Leia mais:

Dilma libera R$ 10 milhões para estragos da chuva no Rio

Cabral, Pezão e os factoides contra as chuvas de verão

Rio, cidade submersa: obras recém-inauguradas não resistem à primeira chuva

Bolsa tragédia: com obras atrasadas, Rio faz do aluguel social um benefício permanente para vítimas da chuva

(Com Agência Brasil)