Secretaria pede, mas MPL não vai informar trajeto do protesto de amanhã em SP

Movimento afirma que o itinerário do 6º ato contra o aumento da tarifa no transporte público vai ser decidido na concentração, na Estação da Luz

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) estipulou até as 19 horas desta segunda-feira o prazo para que o Movimento Passe Livre (MPL) divulgue o trajeto do protesto contra o aumento da tarifa do transporte público, marcado para amanhã. A SSP pretende fazer uma reunião de planejamento com a presença do secretário Alexandre de Moraes amanhã às 11 horas. Por meio de nota, o MPL já adiantou, no entanto, que não vai informar por onde o ato seguirá nem negociará o trajeto com a secretaria. A concentração do protesto está marcada para as 17h, em frente à Estação da Luz, região central da capital paulista.

O argumento da SSP de que o aviso prévio é necessário ao remanejamento de ônibus e do trânsito e ao planejamento da coleta de detritos não tem sido o bastante para evitar divergências com o MPL a respeito do itinerário das manifestações.

O protesto marcado para 12 de janeiro, por exemplo, acabou em cenas de confronto antes mesmo de começar após a PM impedir que os manifestantes seguissem da Praça do Ciclista, na Avenida Paulista, pela Avenida Rebouças até o Largo do Batata, em Pinheiros.

O trajeto havia sido definido de última hora, como é praxe do movimento, e a polícia exigia que o grupo caminhasse pela Rua da Consolação até a Praça da República. Desde então, a PM passou a determinar os trajetos dos atos caso o MPL insista em não informá-los.

Na quinta-feira passada, o MPL insistiu em seguir do Parque Dom Pedro à Assembleia Legislativa de São Paulo, trajeto vetado pela polícia, e o protesto terminou em novo confronto.

A respeito do protesto de amanhã, o Movimento Passe Livre afirma que decidirá na concentração, na Estação da Luz, por onde o ato seguirá.

(da redação)