Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Roubo de carro cai, mas latrocínio dobra em julho em SP

Apesar das quedas em alguns tipos de crime verificadas em julho, o balanço dos primeiros sete meses deste ano ainda é desfavorável na capital

Depois de um semestre repleto de notícias negativas na segurança pública, os números de julho mostraram leve melhora em indicadores de crimes contra a vida e patrimoniais na capital paulista. Além da queda de 13,2% nos homicídios em julho deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, caíram também os casos de roubo de carro (-1,2%), furto de carro (-6,1%), furto (-2,7%) e roubo a banco (-13,3%).

Leia também:

Casal é preso acusado de abusar de garota de 14 anos

Polícia reconstitui ação de bandidos em joalheria de São Paulo

Entretanto, no mesmo período, os latrocínios dobraram na capital, passando de seis casos em julho do ano passado para doze agora. Cresceram também os números de estupro (33%) e de roubo (3,3%) na cidade.

“Esse crescimento dos latrocínios na capital deve ser visto com cuidado. A alta de 100% pode distorcer a compreensão do que aconteceu, já que em julho do ano passado foram só seis casos em um universo de 11 milhões de pessoas na cidade”, afirma o comandante-geral da Polícia Militar, Roberval Ferreira França. “Lamentamos essas mortes, mas os casos de latrocínios são baixos e o estado de São Paulo está entre os locais com menos mortes em assaltos do Brasil”.

Assim como na capital, no estado também caiu o número de homicídios e alguns crimes patrimoniais. Além da redução de 376 para 347 no número de homicídios em julho em relação ao mesmo mês de 2011, houve leve redução nos casos de roubo (-1,2%). No mesmo período, porém, cresceram os casos de latrocínio (55%), roubo de carro (4,2%), roubo a banco (11,5%), roubo de carga (25,3%) e furto de carro (0,8%).

Apesar das quedas em alguns tipos de crime verificadas em julho, o balanço dos primeiros sete meses deste ano ainda é desfavorável. Nos primeiros sete meses, os homicídios dolosos na capital registraram alta de 15,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Cresceram também latrocínio (13,6%), roubo (7%), roubo de carro (18,9%) e furto de carro (4%).

Os homicídios também cresceram no estado (6%) nos primeiros sete meses do ano, assim como roubo de carro (17,1%) e furto de carro (3,8%).

Capital – Apenas 3 dos 93 distritos policiais de São Paulo não registraram homicídios neste ano: Liberdade, Paulista e Monções. Eles ficam nos bairro da Liberdade, Jardins e Brooklin. No ano passado, esses bairros da capital haviam registrado juntos sete casos de janeiro a julho. Até agora, neste ano, o Parque Santo Antônio é o campeão em número de homicídios, com 31 ocorrências. Essa região também havia sido a com mais assassinatos no ano passado, com 44 casos registrados.

Mesmo com a queda no total de homicídios na capital, os dados da Secretaria de Segurança Pública mostram que, dos 93 distritos policiais da cidade, 48 tiveram mais assassinatos neste ano. A melhora no índice de criminalidade ficou restrita a trinta regiões, a maioria da periferia. Só cinco DPs dentro do centro expandido tiveram diminuição no índice de homicídios (Jardim Paulista, Consolação, Paulista, Santa Ifigênia e Liberdade).

Entre os roubos (incluindo o de veículos), a melhora também foi concentrada, desta vez em 27 distritos policiais da capital. Assim como nos homicídios, a maioria das quedas foi registrada na periferia e só cinco regiões do centro expandido melhoraram de situação em comparação com os sete primeiros meses do ano passado (Lapa, Pinheiros, Perdizes, Santa Ifigênia e Santa Cecília).

(Com Agência Estado)