Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

PT e PSDB: unidos contra Celso Russomanno

Nos últimos dias de campanha, cabos eleitorais dos dois partidos adversários saem às ruas com a mesma missão: tirar votos do candidato do PRB

Oito mil cabos eleitorais do PT e 1.500 da coligação do PSDB receberam a missão de abordar moradores da periferia e tentar convencê-los de que o candidato Celso Russomanno (PRB) vai aumentar a tarifa de ônibus para quem mora longe do centro. A blitz de partidários do petista Fernando Haddad (PT) e do tucano José Serra (PSDB) é a aposta para tentar reverter o voto em Russomanno nos extremos leste e sul de São Paulo nos últimos dias antes da eleição de domingo.

Leia também:

Celso Russomanno a VEJA: “Eu dou audiência”

Russomanno irrita eleitores com SMS de campanha

Ícones da Máfia dos Fiscais apoiam Russomanno

Russomanno se irrita ao ser questionado sobre a Universal

Cada campanha de vereador do PT também está orientada a atacar a promessa do rival que propõe tarifa diferenciada, de acordo com a distância percorrida. Estão sendo distribuídos nos próximos três dias 400.000 folhetos da campanha de Haddad que atacam a proposta de Russomanno. No extremo sul, o vereador Milton Leite (DEM), ligado a cooperativa de perueiros e integrante da coligação de Serra, orientou sua equipe de 1.500 “visitadores” a apontar os problemas da proposta de passagem progressiva apresentada por Russomanno.

Um dirigente petista afirma ter distribuído “muita gente” em Cidade Tiradentes, M�Boi Mirim, Guaianases. Uma das táticas, afirma, é colocar nas ruas “pessoas do partido que tentam puxar o assunto da promessa (de Russomanno) de forma espontânea”, na fila do supermercado, dentro dos ônibus e do Metrô. Cada cabo eleitoral petista recebe cerca de 800 reais por mês.

Além do trabalho nos bairros mais distantes do centro, a ordem dentro da campanha é para que todo o material novo de propaganda que for confeccionado pelos vereadores nesses últimos dias tenha a foto de Haddad em “tamanho bem visível”.

Na zona sul, Milton Leite comanda a operação contra Russomanno. A campanha do vereador é uma das maiores entre 1.227 candidatos a vereador na capital. “Meu pessoal fala com os eleitores sobre a proposta da passagem progressiva do Russomanno e mostra que a população que mora mais longe vai pagar mais caro para andar de ônibus. Isso derruba ele”, disse Milton Leite. O vereador do DEM diz que recebeu uma orientação da coordenação de campanha de Serra para desconstruir a imagem e as propostas de Russomanno. Os tucanos não confirmam que tenham feito recomendações específicas aos cabos eleitorais de sua coligação.

Desde que passou a ser alvo dos seus maiores adversários, Serra e Haddad, Celso Russomano vem sofrendo uma queda livre nas pesquisas de intenção de voto. Ele tinha 35% da preferência do eleitorado em 19 de setembro, de acordo com o Instituto Datafolha. Agora, tem 25% e está tecnicamente empatado com José Serra, que tem 23%. Haddad está em terceiro, com 19%.

Reação – Na tentativa de estancar a queda nas pesquisas, Russomanno, gravou mensagem de telemarketing na qual pede votos e volta a explicar a proposta da tarifa de ônibus proporcional, bombardeada pelos adversários.

Serão disparados entre esta sexta-feira e sábado 1,4 milhão de telefonemas. Além do telemarketing, a campanha produziu 1 milhão de folhetos, nos quais tenta convencer o eleitor sobre a proposta da tarifa proporcional.

Em outra frente, começou a distribuir um folheto – com tiragem de 5 milhões de exemplares – no qual lista dez motivos para o eleitor votar no candidato. A medida foi uma reação aos panfletos distribuídos pelas campanhas de Haddad e Serra, que atacam Russomanno. No material do tucano, são descritas dez razões para não votar no candidato do PRB.

(Com Agência Estado)