Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Protestos contra Temer acontecem em doze capitais

Chuva que cai em São Paulo abreviou ato na Avenida Paulista. No Rio, manifestantes caminharam até o prédio onde mora o presidente da Câmara, Rodrigo Maia

Manifestações contra o presidente Michel Temer (PMDB), que pedem a renúncia do peemedebista e a convocação de eleições diretas, acontecem em pelo menos doze capitais brasileiras neste domingo. Convocados por movimentos sociais e centrais sindicais, os protestos saem às ruas em meio à crise política que atingiu o governo Temer desde a divulgação das delações premiadas de executivos da JBS.

São Paulo

Em São Paulo, os manifestantes se começaram a se concentrar em frente ao Masp, na Avenida Paulista, a partir das 15h. A maioria dos manifestantes usa uniformes e empunha bandeiras do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), do Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST), da Central Única dos Trabalhadores (CUT) e da Central de Movimentos Populares (CMP).

Com as presenças do presidente do Partido dos Trabalhadores (PT), Rui Falcão, dos líderes do PT na Câmara e no Senado, Carlos Zarattini (SP) e Humberto Costa (PE), além dos deputados Arlindo Chinaglia (PT-SP), Ivan Valente (PSOL-SP) e do vereador Eduardo Suplicy (PT), o ato começou às 16h.

Por volta das 17h, com a chuva que cai em São Paulo neste domingo, no entanto, os líderes dos movimentos pediram aos oradores que abreviassem seus discursos, para antecipar o fim da manifestação. Segundo os organizadores do ato, as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, 20.000 pessoas compareceram.

Rio de Janeiro

Um grupo com pelo menos 150 manifestantes começou um ato às 15h30 contra o presidente Michel Temer em São Conrado, na zona sul do Rio. Eles se concentraram na estação de metrô da Rocinha e foram em passeata até o prédio do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que fica a cerca de 500 metros do local. O parlamentar é o próximo na linha de sucessão de Temer.

Ao chegarem em frente ao prédio onde mora o presidente da Câmara, os militantes serviram feijoada, uma ironia ao prato oferecido por Michel Temer a aliados em almoço no Palácio da Alvorada, após seu pronunciamento, ontem.

Os manifestantes carregam bandeiras de partidos de esquerda, como PSOL e PCB, da Central Única dos Trabalhadores (CUT), além de faixas de movimentos sociais. Aos gritos de “Fora Temer”, o grupo pede por Diretas Já.

Veja também

Belo Horizonte

Em Belo Horizonte, os manifestantes se concentraram na Praça da Liberdade, na região central, a partir das 9h, e caminharam até a Praça Sete de Setembro.

Além do pedido por eleições diretas e palavras de ordem contra Michel Temer, o ato comemorou o afastamento do senador Aécio Neves (PSDB-MG) do mandato e as prisões da irmã do tucano, Andréa Neves, e do primo dele, Frederico Pacheco de Medeiros. Os delatores da JBS revelaram que Aécio pediu a eles 2 milhões de reais para pagar os honorários de um advogado.

Segundo os organizadores do protesto na capital mineira, centrais sindicais e movimentos sociais, o ato reuniu 50.000 pessoas.

Veja também

Outras capitais

Os protestos em Brasília, Recife, Salvador, Belém, Manaus, Cuiabá, Campo Grande, Goiânia e Curitiba, também convocados pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, reuniram cerca de 300 pessoas cada, de acordo com os organizadores dos atos.

(com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Social Democrata Nem Direita Nem Esquerda

    Diretas? Esses mortadelas estão no mínimo com problema de cabeça.

    Curtir

  2. Rômulo Pinheiro

    Vamos dar a resposta em 2018, não com essas urnas fraudulentas, mas sim com as de voto impresso.
    Chega de ser enganado!

    Curtir

  3. Ronaldo Serna Quinto

    Protestos de mortadelas, né?!?

    Curtir

  4. José Antonio Debon

    São os esquerdistas de sempre acreditando nas conversas de seus lideres, acreditando que se decreta eleição direta em 2 semanas e pensando em eleger o Lula para salvar os sindicatos.

    Curtir