Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Professora é agredida por aluno dentro de colégio em SC

Marcia Friggi publicou fotos com o rosto ensanguentado no Facebook. Agressões aconteceram dentro da diretoria de uma escola municipal em Indaial (SC)

Uma professora foi agredida por um aluno de 15 anos na manhã desta segunda-feira, dentro de um colégio municipal na cidade de Indaial (SC), a 170 quilômetros de Florianópolis. Marcia Friggi, que dá aulas de Língua Portuguesa e Literatura no Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA), publicou fotos de seu rosto ensanguentado no Facebook após as agressões e se disse “dilacerada”. A delegacia de Polícia Civil da cidade confirmou o caso e informou que um boletim de ocorrência foi registrado.

Segundo Marcia, o agressor estava com o livro sobre as pernas durante a aula e, depois de um pedido dela para que o colocasse sobre a carteira, ele respondeu: “eu coloco o livro onde eu bem quiser”. Ao ouvir da professora que “as coisas não são assim”, o jovem teria dito “vai se f…” e, então, sido expulso da sala de aula. “Ele levantou para sair, mas no caminho jogou o livro na minha cabeça. Não me feriu, mas poderia”, conta a professora.

Já na direção do colégio, segundo o relato de Marcia Friggi, ela informou o acontecido e foi acusada pelo jovem de mentir. A professora afirma que as agressões começaram quando ela tentou argumentar, dizendo que “a sala toda viu”. “Não deu tempo para mais nada. Ele, um menino forte de 15 anos, começou a me agredir. Foi muito rápido, não tive tempo ou possibilidade de defesa. O último soco me jogou na parede”, diz Marcia.

“Estou dilacerada por ter sido agredida fisicamente. Estou dilacera por saber que não sou a única, talvez não seja a última. Estou dilacerada por já ter sofrido agressão verbal, por ver meus colegas sofrerem. Estou dilacerada porque dilacera porque me sinto em desamparo, como estão desamparados todos os professores brasileiros. Estamos, há anos, sendo colocados em condição de desamparo pelos governos. A sociedade nos desamparou”, escreveu ela na postagem, que já foi compartilhada 112.620 vezes até as 20h desta segunda-feira e teve outros 2.384 comentários de apoio à professora.

VEJA entrou em contato com a Secretaria de Educação de Santa Catarina e foi informada que o caso é de competência da prefeitura de Indaial. A pasta comunicou, no entanto, que está acompanhando os desdobramentos do incidente. Não foi possível localizar a direção do Centro de Educação de Jovens e Adultos nem a professora Marcia Friggi.

ERRATA: Uma primeira versão deste texto dizia que a agressão aconteceu na Escola de Educação Básica Prefeito Germano Brandes Júnior e que a competência sobre o colégio é do estado de Santa Catarina. A agressão ocorreu no Centro de Educação de Jovens e Adultos de Indaial, de responsabilidade municipal. A informação foi corrigida.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Galdino Neto

    Essa mesma autoproclamada professora fez apologia à agressão de terceiros quando não professa sua ideologia política. Agora se faz de coitadinha. Ela ajudou a criar o monstrinho. Esquerdopatia pura

    Curtir

  2. Marco Ruschel

    Triste o país em que seus professores apanham. Pior ainda quando a professora incita seus alunos a jogar ovos em seus desafetos…

    Curtir

  3. Galdino Neto cala a boca e vai se tratar seu doente.

    Curtir

  4. Paulo Roberto Correa Lima

    ISSO TALVEZ MELHORE COM APLICAÇÃO DA TOLERÂNCIA ZERO. CADEIA DIRETO.

    Curtir

  5. SE Ñ FOSSE COMUNISTA Ñ APANHAVA , SERIA RESPEITADA .
    O “menor” Ñ CHEGARÁ AOS 16 , É BANDIDO .

    Curtir