Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Prefeitura do Rio acolhe mais 65 pessoas na cracolândia do Jacarezinho

Operação da Secretaria municipal de Assistência Social contou com apoio da PM. Cinco menores de idade estão entre os dependentes levados para abrigos

A prefeitura do Rio de Janeiro realizou, na manhã desta sexta-feira, nova operação para combater o avanço devastador do crack. Mais uma vez, o alvo escolhido foi a favela do Jacarezinho, na zona norte, considerada a maior cracolândia da cidade. Com o apoio de 12 agentes do 3º BPM (Méier), 22 funcionários da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) acolheram 65 pessoas, sendo cinco menores de idade. A ação estendeu-se à favela do Pica-pau.

Após o processo de identificação na polícia, todos são encaminhados para os abrigos da Rede de Proteção Especial do município. Os adultos vão para o abrigo de Paciência, enquanto as crianças e os adolescentes são levados para a Central de Recepção Carioca, no Centro. Os menores que forem identificados com alto grau de comprometimento com a dependência química serão conduzidos para tratamento em uma das quatro unidades de abrigamento compulsório.

No caso das crianças e adolescentes, o vício do crack ganha contornos ainda mais dramáticos, já que costuma vir acompanhado de desamparo familiar. E como raramente esses jovens procuram ajuda sozinhos, acabam entregues à droga nas cracolândias. Desde o dia 31 de março de 2011, quando tiveram início as operações de enfrentamento à epidemia do crack, 600 menores de idade já foram acolhidos. Foram realizadas 90 ações, com um total de 4.028 acolhimentos.

LEIA TAMBÉM:

Os primeiros avanços do Rio na luta contra o crack

Na luta contra o crack, Rio receberá 240 milhões de reais da União