Prefeitura descredencia empresa de ônibus em greve

De acordo com a administração municipal, Viação Itaquera Brasil apresenta alto índice de falhas e reclamações; 200 mil ficaram sem ônibus nesta sexta-feira

A greve de motoristas e cobradores da Viação Itaquera Brasil (antiga Novo Horizonte), que deixou 200.000 passageiros da Zona Leste sem ônibus na manhã desta sexta-feira, foi o estopim para a Prefeitura de São Paulo decidir descredenciar a empresa.

Segundo a prefeitura, as falhas na prestação do serviço são constantes e a manutenção do contrato “traria prejuízos do ponto de vista de qualidade do serviço público”. A administração também afirmou, por meio de nota, que a Viação Itaquera Brasil “apresenta baixa renovação de frota, problemas no número de partidas e alto índice de reclamações”.

Leia também:

Em greve há 6 dias, viação Oak Tree vai à falência em SP

São Paulo terá 140 linhas de ônibus ativas na madrugada

O eterno desafio de São Paulo: fazer andar a “cidade que nunca para”

Os 220 veículos da empresa são responsáveis pelo transporte de passageiros de 24 linhas da Zona Leste. A São Paulo Transportes (SPTrans) acionou 119 ônibus do Plano de Atendimento entre Empresas em Situação de Emergência (Paese) para atender doze linhas na manhã desta sexta. A prefeitura informou ainda que outras empresas de transportes auxiliarão no plano de mobilidade por meio de contratos emergenciais.

Os funcionários da Viação Itaquera Brasil reivindicavam o pagamento do salário do mês de setembro, que deveria ter sido efetuado no dia 7. Com a decisão, os trabalhadores terão quitados os direitos trabalhistas e terão recolocação profissional.