Polícia mata homem que manteve a ex refém em SP

Cárcere privado durou quase 11 horas e terminou com a morte de Fabiano Crisostomos. Agredida pelo criminoso, Patrícia Correia foi resgatada com ferimentos

Um homem que mantinha a ex-namorada como refém em uma casa na Zona Leste de São Paulo foi morto pela polícia nesta terça-feira. A ação policial aconteceu pouco antes das 23h e terminou com a morte de Fabiano Crisostomos. Agredida pelo ex durante o cárcere privado que durou quase 11 horas, a vítima, Patrícia Correia, foi resgatada com ferimentos e levada de ambulância.

De acordo com a Globo News, dois policiais ficaram feridos na operação. Segundo a emissora, a polícia afirmou que decidiu agir quando descobriu que Fabiano enviou um vídeo para amigos durante a tarde expressando sua intenção de matar a ex-namorada.

A ocorrência começou por volta de meio-dia, quando Fabiano invadiu a casa. Inicialmente, a irmã de Patrícia também foi mantida como refém, mas ela acabou liberada de tarde, durante as negociações entre o criminoso e a polícia.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Derci de Lima

    A policia esta de parabéns em eliminar este verme da sociedade, se aparecer algum defensor de bandido meta bala nele também

    Curtir

  2. Antonio Carlos Peludo

    Certíssimo

    Curtir

  3. Rogerio Inacio Rodrigues

    Policia salva a vida de mulher mantida refém pelo ex companheiro. ESSE É O TITULO CORRETO SEUS DOENTES

    Curtir

  4. Luis Cláudio Cláudio

    Parabéns à Polícia de São Paulo! Obrigado pelo seu trabalho!

    Curtir

  5. A essa hora a turminha dos Direitos Humanos devem está numa correria pra tentarem fu* com os policiais!

    Curtir

  6. Geliad Almeida

    Parabéns a polícia de São Paulo. São casos desgasta a família, e infelizmente no Brasil, a medida protética é só um papel, que pouco ajuda em manter o indivíduo Longe. A certeza da impunidade faz com que cada vez casos como esse apareçam. Desta vez a justiça venceu…..

    Curtir

  7. Gilberto Goes Junior

    Bom Trabalho um Verme a menos,falta uma Medalha para ele

    Curtir

  8. Concordo com Rogerio Inacio. A polícia não foi com a intenção de MATAR ninguém. Estava lá pra salvar a vidas, do agressor inclusive. Se morreu e porque queria morrer e levar a vitima junto. Não entendo a VEJA, tem jornalistas com bom senso como o Reinaldo Azevedo e depois mergulha no sensacionalismo barato e na ideologia de esquerda…

    Curtir

  9. Ivan Elias Dos Santos

    O marginal escolheu seu próprio destino,parabéns para polícia.

    Curtir