PMs e bombeiros entram em greve em Pernambuco

Na madrugada desta quarta, pelo menos dois batalhões ficaram aquartelados e não atenderam chamados. Nova manifestação está prevista para hoje

Policiais militares e bombeiros decidiram entrar em greve em assembleia realizada na noite de terça-feira. A 30 dias da Copa do Mundo, um protesto reuniu milhares de pessoas diante do Palácio Campo das Princesas, sede do governo estadual, em Recife. Manifestantes foram recebidos por representantes da Casa Civil e Militar, mas não houve acordo. Os grevistas querem implantação de plano de carreira, revisão do sistema de saúde da PM e reajuste do vale-alimentação de 154 reais para 500 reais.

Em pelo menos dois batalhões, de Olinda e Paulista, os policiais passaram a noite e a madrugada aquartelados, ou seja, permaneceram de plantão dentro dos quartéis, sem realizar rondas ou sair às ruas para atender chamados.

Leia também:

Rio enfrenta mais um dia sem ônibus. Greve chega à Baixada Fluminense

Esta manhã, os grevistas se reúnem em assembleia marcada para as 10h em frente ao Palácio do Campo das Princesas. Eles vão decidir se, durante a paralisação, ficarão nos quartéis ou se acampam nas proximidades da sede do governo do Estado.

O governo de Pernambuco alega ter oferecido às categorias aumento de 14,55% a partir de junho. Para atender as outras reivindicações, uma comissão multissetorial foi criada. Uma nova manifestação está prevista para esta quarta-feira. Fortaleza, Curitiba, Belo Horizonte e Salvador também tiveram protestos de diversas categorias por questões salariais.

(Com Estadão Conteúdo)