PF deflagra nova fase da Zelotes com alvo no grupo Gerdau

Segundo a Polícia Federal, a empresa é suspeita de ter tentado sonegar até R$ 1,5 bilhão; polícia cumpre mandados de condução coercitiva contra 22 pessoas, entre elas André Gerdau, CEO da companhia

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira a sexta fase da Operação Zelotes contra a siderúrgica Gerdau, uma das gigantes do setor no país. Conforme a PF, a empresa é suspeita de ter tentado sonegar até 1,5 bilhão de reais por meio de lobistas que pagavam propina no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf).

A PF cumpre 22 mandados de condução coercitiva e dezoito de busca e apreensão em Brasília, Rio de Janeiro, Porto Alegre, São Paulo e Recife. Entre os que foram intimados a ir depor na delegacia está o CEO do grupo Gerdau, André Bier Gerdau Johannpeter, filho do empresário Jorge Gerdau. Também foram autorizadas judicialmente as oitivas de dois lobistas, que foram presos anteriormente na Zelotes e estão no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília: José Ricardo da Silva e Alexandre Paes dos Santos, o APS. Eles foram levados da 10ª Vara Federal, onde participavam de audiência com o juiz Vallisney de Souza Oliveira, para a Superintendência da PF, em Brasília.

O CEO da companhia apresentou-se espontaneamente para depor nesta quinta em São Paulo, por volta das 14 horas. Estava sem escolta da PF, acompanhado de dois advogados. As buscas também são realizadas em endereços da empresa.

A PF afirma que a Gerdau fechou contratos com escritórios de advocacia e consultoria alvos da Zelotes. Eles manipulavam decisões do Carf para cancelar ou reduzir a cobrança de tributos da companhia.

A polícia acusa a Gerdau e os lobistas a de terem continuado a agir ilicitamente mesmo depois do início da operação, em março do ano passado. Eles são acusados de advocacia administrativa fazendária, tráfico de influência, corrupção ativa e passiva, associação criminosa e lavagem de dinheiro. A sexta-fase da Zelotes é um desdobramento dos inquéritos paralelos a cargo do procurador da República Marcelo Ribeiro, abertos para apurar, entre outros, o envolvimento da Gerdau com a quadrilha de lobistas que já responde a uma ação penal.

Em nota, a Gerdau disse que está “à disposição” das autoridades e que colabora “integralmente” com as investigações da PF. “A Gerdau reitera, portanto, que possui rigorosos padrões éticos na condução de seus pleitos junto aos órgãos públicos e reafirma que está, como sempre esteve, à disposição das autoridades competentes para prestar os esclarecimentos que vierem a ser solicitados”, diz o texto.

Leia também:

PF apura se Lula se associou a quadrilha de lobistas

Dilma diz a juiz não ter o que declarar sobre ‘compra’ de MPs