Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Padre Marcelo Rossi: ‘Voltei para o ataque’

VEJA acompanhou com exclusividade o dia a dia do sacerdote mais popular do país

Depois de uma temporada severa mergulhado na depressão e na anorexia, Marcelo Rossi reinventou sua própria vida. O sacerdote agora dorme pouco – quatro horas por noite, mais um cochilo depois do almoço. Metade do tempo de sono de tempos atrás. Tornou-se profundamente seletivo para comer. Carboidratos? “Quase zero”, diz ele. Pizza? “Só com massa de berinjela.” Zero sal adicionado às refeições. Os queijos foram abolidos: “Têm gordura demais”. Idem para carnes vermelhas. “Elas levam três dias para serem digeridas”. Ele adora carne, no entanto. Quando sente muita falta, usa temperos sabor picanha na comida. Frango? “Evito. Recebem anabolizantes.” Ainda faltam 12 quilos para recuperar o peso ideal.

Para Marcelo Rossi, sua decadência física começou após uma queda em 2010. Mesmo convalescente, o padre não abandonou a exaustiva rotina de trabalho, com sessões de autógrafos do best-seller Ágape que duravam das 11h da manhã às 10h da noite. “Eu estava hiperestressado, debilitado e deprimido. Devia ter parado”, recorda ele.

Rossi agora voltou, talvez um pouco mais recatado do que antes, mas com um apetite e esperança enormes. O retorno foi catapultado com sua entrada nas redes sociais. As aparições começaram timidamente há um ano, por iniciativa exclusiva dele. Suas interações fazem um sucesso estrondoso. Hoje, os registros ao vivo de suas missas, com 8 minutos de duração, chegam a ter 1,5 milhão de views. A cada dia, são 20 milhões de interações, entre cliques, compartilhamentos e comentários. O objetivo maior da entrada no universo online foi se reaproximar dos jovens. E conseguiu. Depois das redes sociais, a participação de fiéis com idade até 30 anos em suas missas dobrou. No próximo mês ele começa a gravar um CD e um DVD e um novo livro será lançado em 2018. “Voltei para o ataque”, diz.

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Osmar Serrragem

    Como dizia aquele criador do “Carnê Fartura”, no Brasil, a cada minuto nasce um idiota…

    Curtir

  2. Nada como um bom remedinho para colocar as ideias no lugar.

    Curtir

  3. Esse é padre de verdade e tem toda a minha admiração. Não é um daqueles homossexuais enrustidos, que vivem a enganar os incautos com sua fala macia e artificial…

    Curtir

  4. Cláudio Moura

    Falta de Deus no coração, depois que saiu dos holofotes, bateu a depressão.

    Curtir

  5. Para ler a reportagem na íntegra, compre…
    Mas o quê interessa o Pe. Marcelo e sua “volta ao ataque”?

    Curtir

  6. Social Democrata Nem Direita Nem Esquerda

    Como sempre, os idiotas de plantão postando comentários recheados de ódio e inveja. Esquecem que antes de tudo, Padre Marcelo é um ser humano, como nós. Que Deus o ilumine sempre e perdoe os idiotas aqui dos comentários rancorosos e maldosos, que só sabem destilar ódio e mais nada.

    Curtir

  7. Social Democrata Nem Direita Nem Esquerda

    Cesar8002UTB, você é digno de pena. Sua ignorância é tão vagabunda quanto sua vida mesquinha e sem razão.

    Curtir