Na volta à cadeia, Abdelmassih passa a noite com 3 presos doentes

Ex-médico condenado por estuprar 37 mulheres teve cassada decisão que lhe permitia fazer tratamento médico em casa; ele recorreu ao STJ para deixar prisão

O ex-médico Roger Abdelmassih, de 74 anos, que voltou à prisão após ficar por uma semana em prisão domiciliar, teve uma noite tranquila de sábado para domingo, no complexo prisional de Tremembé, no interior paulista. O Tribunal de Justiça de São Paulo cassou decisão de primeira instância que havia lhe concedido o benefício de se tratar em casa em razão de graves problemas de saúde que possui.

Abdelmassih  passou a noite com outros três detentos, também doentes, em uma cela perto da enfermaria do presídio, a mesma em que estava antes de ser internado em razão do agravamento do seu estado de saúde. O preso, que tem vários problemas cardíacos, não necessitou de atendimento médico nenhuma vez. O ex-médico foi condenado a 181 anos de prisão pelo estupro de 37 pacientes em sua clínica de reprodução assistida. Ele está preso desde 2009.

O ex-médico deve seguir em regime fechado, enquanto defesa e Ministério Público discutem na Justiça, com laudos contraditórios sobre sua saúde, se ele pode ou não ficar encarcerado. Se precisar de atendimento médico, ele será levado para um hospital em Taubaté. “Hoje, em regime de plantão, será impetrado um habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça. A decisão não deve tardar pelo fato de o paciente ser pessoa idosa”, disse seu advogado, Antônio Celso Galadino Fraga.

(Com Estadão Conteúdo)