MTST e sindicatos protestam contra PEC do teto

Manifestantes atearam fogo em pneus e pedaços de madeira. Diversas estradas ficaram bloqueadas nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira

Manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) convocaram diversos protestos contra a PEC do Teto dos Gastos, em tramitação no Senado Federal, e bloquearam a Rodovia Presidente Dutra na manhã desta sexta-feira, na altura do trevo de Bonsucesso, em Guarulhos, sentido São Paulo, ateando fogo em pneus e pedaços de madeira. O trânsito estava parado desde antes das 7 horas da manhã e os manifestantes colocaram fogo em pneus na pista. Já não há mais registros de rodovias bloqueadas.

Além do protesto na Via Dutra, manifestantes do MTST bloquearam também a Rodovia Anchieta, no km 23, sentido São Paulo, na região de São Bernardo do Campo, prejudicando o trânsito . Houve manifestação do MTST também na Rodovia Regis Bittencourt e em vias da Zona Sul da capital.

Uma manifestação de moradores e sem-teto bloqueou totalmente a rodovia Anhanguera durante a manhã desta sexta, em Sumaré, interior de São Paulo. Os manifestantes fizeram barreiras com pneus e atearam fogo, interditando os dois sentidos da rodovia, no trecho que corta o distrito de Nova Veneza.

LEIA TAMBÉM:
Na TV, Meirelles diz que teto do gasto preserva saúde e educação
Meirelles ganha apoio do FMI na PEC do teto dos gastos

De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual, os manifestantes são moradores da Vila Soma, bairro situado às margens da rodovia. Um dos acessos a Sumaré também ficou bloqueado. Ainda segundo a polícia, a manifestação é contra as medidas de controle fiscal do governo Temer. Às 8 horas, os policiais e a Guarda Municipal de Sumaré negociavam a liberação da rodovia.

Greve de ônibus

Cerca de 300 mil usuários do transporte coletivo urbano e interurbano ficaram sem ônibus desde a madrugada desta sexta-feira, em Sorocaba e 40 cidades da região. A greve foi decretada pelos sindicatos dos trabalhadores em protesto contra medidas de ajuste fiscal do governo federal. Foram mantidos 30% da frota circulando, insuficientes para atender os usuários.

Em Sorocaba, Votorantim e Itapetininga, onde o transporte urbano também parou, milhares de pessoas seguiram a pé para o trabalho. Nas rodoviárias, usuários foram apanhados de surpresa no meio de viagens programadas para o feriado prolongado da Proclamação da República, no próximo dia 15.

O Sindicato dos Condutores de Sorocaba divulgou nota informando que a categoria participava do Dia Nacional de Greve contra o que chamou de “pacote de maldades” do governo Temer e anunciou que a paralisação será suspensa ao meio-dia. A Urbes, empresa municipal de transporte de Sorocaba, informou ter montado um esquema especial para garantir um mínimo de mobilidade aos usuários.

Protestos no país

Entidades sindicais e movimentos populares também realizam protestos em outros estados do país sob o lema de “Nenhum direito a menos!”. Em Porto Alegre, o MTST bloqueou a Avenida Bento Gonçalves. As cidades de Recife, Uberlândia e Goiânia também tiveram manifestações e estradas bloqueadas pelo movimento.

O secretário-geral da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Wagner Gomes, disse que as “entidades de base farão atos pela manhã, junto às suas categorias. Podem ser concentrações ou paralisações”.

Às 14 horas, a Associação de Professores do Estado de São Paulo (Apeoesp) faz assembleia na Praça da República,no centro de São Paulo, e movimentos sociais se encontram no vão livre do Masp, na avenida Paulista, às 15 horas. O evento principal acontece às 16 horas na Praça da Sé, reunindo as entidades sindicais e movimentos.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Wilson A. Zamignani

    ISSO É UM GRUPO TERRORISTA, CADE A LEI ANTI-TERROR?

    Curtir

  2. MST e sindicato???é farinha do mesmo saco, só nos explora,sacaneia os trabalhadores de verdade .. Hugo Chaves?? Esses “gadernalistas” estão tomando pouco ou nenhum Gadernal

    Curtir

  3. Rosmany Aires Martins

    Manifestação que tem milhões de pessoas NÃO precisa de pneus queimando para engrossar o movimento

    Curtir

  4. Fábio Luís Inaimo

    Queimam pneus impedindo as pessoas de trabalhar.

    Curtir

  5. Fábio Luís Inaimo

    Quebram ônibus e metro impedindo as pessoas de ir e vir.

    Curtir

  6. Fábio Luís Inaimo

    Invadem escolas impedindo estudantes de estudar.

    Curtir

  7. Fábio Luís Inaimo

    Quanto respeito ao publico e aos trabalhadores!

    Curtir

  8. central de trabalhadores que não trabalham!!! como assim????

    Curtir