Acidente na Sapucaí: motorista da Tuiuti se apresenta à polícia

Pelo menos 20 pessoas ficaram feridas no acidente com o carro alegórico da Paraíso do Tuiuti, no sambódromo do Rio de Janeiro

Considerado foragido até o início da tarde desta segunda-feira, o motorista que que atropelou e feriu 20 pessoas na Marquês de Sapucaí, na noite domingo, se apresentou à polícia ao lado da mulher e dos filhos, 16 horas depois do episódio.

Ele dirigia um dos carros alegóricos da escola Paraíso do Tuiuti, que perdeu o controle e prensou pessoas na grade que separa a pista da arquibancada. Alguns feridos ficaram presos nas ferragens e bombeiros tiveram que serrar a grade.

Dos feridos no acidente, três mulheres permanecem internadas, uma em estado grave. Maria de Lurdes Ferreira, de 58 anos, passou por uma cirurgia no Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, e respira apenas por aparelhos. Ela teve fratura exposta nas duas pernas, traumatismo craniano e traumatismo de face.

Na mesma unidade está Elisabeth Ferreira Jofre, 55, que também se recupera de uma cirurgia no fêmur. Seu estado de saúde é estável. Outra paciente, também fora de perigo, é Lucia Regina de Mello, 56, que está em observação no Hospital Municipal Miguel Couto, na Zona Sul do Rio.

Na manhã desta segunda-feira, 27, outras cinco vítimas do acidente tiveram alta hospitalar.  O acidente teria sido causado por uma manobra equivocada do motorista do sexto e último carro da Tuiuti. A escola andava apressada para fechar sua apresentação nos 75 minutos regulamentares (esse ano, o tempo de cada agremiação foi encurtado em sete minutos, para dinamizar o espetáculo).

O Paraíso do Tuiuti informa que começou a prestar a assistência necessária às vítimas mais graves do acidente ocorrido durante o seu desfile. O diretor de carnaval da agremiação, Leandro Azevedo, esteve presente nos hospitais Miguel Couto e Souza Aguiar visitando as três vítimas em estado mais delicado.