Mortes por homicídio aumentaram 32% no país em 15 anos

A pesquisa mostra ainda que a incidência de morte por homicídio entre os homens é, em média, 10 vezes maior do que entre as mulheres

A taxa de morte por homicídios no Brasil aumentou aproximadamente 32% em 15 anos. É o que mostra um estudo do Ministério da Saúde divulgado nesta quarta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o levantamento, a taxa de mortes por homicídio a cada 100.000 habitantes saltou de 19,2 em 1992 para 25,4 em 2007 – um acréscimo de 6,2 em números absolutos. Enquanto entre 1992 e 2003 houve um aumento no coeficiente, a partir de 2004 observa-se uma tendência de queda.

A pesquisa mostra ainda que a incidência de morte por homicídio entre os homens é, em média, 10 vezes maior do que entre as mulheres. Em 2007, por exemplo, a taxa masculina foi de 47,7 mortes a cada 100.000 habitantes, ante 3,9 entre as mulheres. Em 1992, era de 35,6 para os homens e de 3,2 para as mulheres.

O levantamento aponta o estado de Alagoas como o líder na taxa de mortes por homicídio, com média de 59,5 para cada 100.000 habitantes em 2007. Em seguida estão Espírito Santo (53,3) e Pernambuco (53). O Rio de Janeiro ocupava o quarto lugar em 2007, com taxa de 41,5. Já Santa Catarina (10,4), Piauí (12,4) e São Paulo (15,4) eram os estados com as menores taxas.

O IBGE argumenta que os óbitos por homicídios afetam a esperança de vida da população brasileira, que não é superior justamente por causa dos altos índices de morte prematura, sobretudo de jovens do sexo masculino. Os dados foram divulgados na pesquisa Indicadores de Desenvolvimento Sustentável, referente ao ano de 2010.