Moro autoriza e STF vai receber dados do celular de Odebrecht

Executivo teve o celular apreendido pela PF em junho. No aparelho, os investigadores encontraram mensagens cifradas que revelaram proximidade com políticos

O juiz Sergio Moro autorizou o compartilhamento com o grupo de trabalho da Polícia Federal responsável pelos inquéritos da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal das informações presentes nos celulares do empreiteiro Marcelo Bahia Odebrecht – preso desde 19 de junho de 2015.

A força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, ao se manifestar para o juiz Sergio Moro sobre o compartilhamento material, apontou que “não há como negar a relação entre os fatos apurados perante este juízo e perante o Supremo Tribunal Federal”.

Atualmente, existem no Supremo 81 inquéritos contra 364 investigados na Lava Jato, incluindo pessoas físicas e jurídicas e até pessoas sem foro mas que devido ao envolvimento com os parlamentares deverão ser julgadas pela Corte máxima. O aparelho do maior empreiteiro do país foi apreendido na 14ª fase da operação, deflagrada em 19 de junho de 2015 e que levou à prisão Odebrecht e do empresário Otávio Marques, da Andrade Gutierrez.

LEIA TAMBÉM:
Moro aceita denúncia e Lula vira réu na Lava Jato
Ex-ministro Guido Mantega é preso na 34ª fase da Lava Jato

No celular de Odebrecht, que está em vias de fechar acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF), foi encontrado um conjunto de siglas com referência a políticos, frases cifradas e codinomes que revelaram a proximidade do empreiteiro com o mundo político.

Quando o material veio à tona, a PF utilizou tarjas para preservar o nome dos políticos com foro privilegiado, justamente pelo fato de as investigações estarem no âmbito da primeira instância judicial naquela época. Muitas mensagens já foram decifradas pelos investigadores em Curitiba. Eles descobriram a existência de um “departamento de propinas” que funcionava na empresa e envolvia não apenas obras na Petrobras.

Desde que o funcionamento do departamento foi revelado, em março deste ano, a cúpula da empreiteira, incluindo Marcelo Odebrecht, decidiu colaborar com as investigações.

Agora, além da força-tarefa em primeira instância, os investigadores da Diretoria de Combate ao Crime Organizado da Polícia Federal em Brasília  vão poder aprofundar as investigações, mirando em políticos que detêm foro privilegiado perante o STF e cujos nomes e contatos estão armazenados no aparelho do empreiteiro.

LEIA MAIS:
Moro manda soltar Mantega
Moro é eleito o décimo mais influente do mundo na lista da Bloomberg

A Lava Jato já conseguiu cruzar o conteúdo das mensagens de celular e anotações na agenda eletrônica de Marcelo com operações financeiras e outros elementos que, para o MPF, ligam os executivos ao esquema de corrupção na Petrobras.

Parte desse material decifrado já foi utilizada para embasar denúncias contra nomes ligados à empreiteira. Nenhum dos diálogos e anotações que fazem referências expressas a políticos, porém, ainda foi decifrado e cruzado com outras informações das investigações.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Aí, vai para a esfera do STF, com aquele monte de comprados, e com o apoio do Renan.
    A coisa para!

    Curtir

  2. Esse maldito foro privilegiado que esconde e beneficia os ladrões, vagabundos, comparsas do lulladrão, assassinos, bandidos, corruptos, quadrilheiros, tem que acabar com urgência.
    Esses vagabundos foram eleitos pelo povo e devem dar satisfações ao povo, mentiram para o povo, montaram suas quadrilhas de ladrões, roubaram o dinheiro do povo, e continuam se escondendo, sendo beneficiados e continuam praticando os mesmos crimes, as mesmas roubalheiras.
    Aquela casa da prostituição, casa do baixo meretrício, aquela zona, conhecida vulgarmente, como congresso nacional, abriga a maior quadrilha de ladrões do mundo, e o povo tem a obrigação de saber quem são os criminosos, quem são os ladrões, porque a justiça é igual para todos, conforme diz a constituição inacabada federal.

    Curtir

  3. 81 inqueritos q vao terminar em pizza. STF virou sinonimo de pizzaria para politico. Por isso q fazem o diabo para terem processos julgados pela “suprema pizzaria”.

    Curtir

  4. Edson Souza Vieira Vieira

    Agora sim, a LAVA JATO encontra-se em perigo…. as msgs deste aparelho são valiosíssimas, principalmente, para os envolvidos caso tenham acesso. Lembramos que o vice do STF é o antigo advogado dos p tralhas.

    Curtir

  5. Fernando Kozlowski

    O julgamento do mensalão pelo STF e o resultado apresentado, na minha opinião foi um desalento para o povo brasileiro. Enquanto a corrupção e corruptos ainda estão sem a devida justiça definitiva neste país, realmente não consigo vislumbrar nenhuma posição ou disposição do STF em julgar de maneira dinâmica e varrer deste país toda corrupção e todo corrupto. Se o STF decidir julgar os processos que lá estão, a corrupção neste país já estaria extinta há muito tempo e os corruptos debaixo de severa punição… mas…

    Curtir

  6. Arthur Silva Costa

    Dois ministros do Supremo não podem nemdevem participar do julgammento da Lava Jato.Se participarem vai se transformar numa enorme pizza .Nós sabemos quem são

    Curtir

  7. Martinus Felix

    STF, o lugar onde a verdadeira Justiça encalha para então sofrer uma morte lenta e dolorosa.

    Curtir