Ministro da Justiça anuncia reforço da Força Nacional no Rio

Cem homens da Polícia Rodoviária Federal (PRF) serão convocados; série de ataques aconteceu na tarde desta terça

O ministro da Justiça, Osmar Serraglio, anunciou nesta quarta-feira novas medidas para conter a onda de ataques ao Rio de Janeiro. De acordo com a pasta, homens da Força Nacional  e da Polícia Rodoviária Federal serão enviados para reforçar a segurança na capital.

Nesta terça, dez veículos – oito ônibus e dois caminhões – foram incendiados em diversos pontos do Rio de Janeiro, provocando várias interrupções em vias importantes da cidade, o que fez a prefeitura decretar estado de atenção na cidade – o segundo nível em uma escala que vai até três. Os ataques, que continuaram durante a tarde, começaram após uma operação policial contra traficantes da comunidade de Cidade Alta, na região de Cordovil, Zona Norte da cidade.

“Dispomos de 125 integrantes da Força Nacional no Rio de Janeiro e iremos reforçar essa participação através de mais 100 neste primeiro momento. E também há um pleito relativo à Polícia Rodoviária Federal”, afirmou Serraglio.

O ministro também destacou que a segurança é um dos pontos fundamentais no governo do presidente Michel Temer. “É um desenho que provém do fato de termos um presidente da República que já foi secretário de segurança e, portanto, tem uma sensibilidade mais clara em relação a esse serviço”, disse.

De acordo com o ministro, setores de inteligência do governo identificaram que a Via Dutra é uma das principais rotas de droga e tráfico de armas, além do tráfego de veículos de carga, o que faz a via ser uma das principais rotas de assaltos. “A Via Dutra está servindo de canal de alimentação de drogas, armamentos, assalto a cargas, transportes, e tudo isso termina alimentando o sistema da organizações criminosas”, afirmou o ministro.

Prejuízo

O número de ônibus incendiados por criminosos no Rio de Janeiro nos pouco mais de quatro meses de 2017 já supera aquele registrado ao longo de todo o ano passado. Após a ação da manhã desta terça-feira, já chega a pelo menos cinquenta o total de coletivos incendiados em 2017. Em 2016, foram 43 no total.

Os dados são da Federação das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor), que em nota repudiou os ataques. “O custo estimado para a reposição da frota incendiada neste ano já chega a 22 milhões de reais”, informou a entidade, que ressaltou ainda que “não há seguro para casos de incêndios criminosos”.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. No Rio de janeiro, tem muito gelo pra secar.

    Curtir