Memorial da América Latina completa 25 anos sem auditório principal

Área afetada por incêndio em novembro permanecerá sem alvará até finalização das obras; o auditório não precisará ser demolido

O Memorial da América Latina completa 25 anos nesta terça-feira com programação de shows e eventos, mas sem o auditório principal, que teve 90% da estrutura queimada em um incêndio em novembro do ano passado. Projetado por Oscar Niemeyer, o auditório Simón Bolívar não precisará ser demolido, segundo laudo do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) do Estado que afirma que o local “encontra-se em condições passíveis de recuperação”. O IPT está mapeando a estrutura para o restauro e, em abril, conforme previsões do Memorial, a Companhia Paulista Obras Serviços (CPOS) abrirá licitações para contratar as empresas que farão a obra.

Na época do incêndio, a prefeitura afirmou que o auditório estava com o alvará vencido desde 1993. O presidente do centro cultural, João Batista de Andrade disse, no entanto, que tinha um documento do Departamento de Controle do Uso de Imóveis (Contru) que permitia o funcionamento.

Um novo alvará somente poderá ser solicitado quando a reforma e recuperação do espaço forem finalizadas. “Após a conclusão da reforma do auditório, o interessado deverá requerer o Alvará de Funcionamento para Local de Reunião. O alvará só será emitido se todas as questões legais forem atendidas”, informou a Secretaria Municipal de Habitação, em nota.

(Com Estadão Conteúdo)