Médica que recusou atendimento a bebê no Rio é demitida

Criança de 1 ano e 6 meses morre após profissional rasgar pedido de remoção e obrigar a ambulância dar meia-volta após chamado da família na Barra da Tijuca

A médica que recusou atendimento a Breno Rodrigues Duarte da Silva, de 1 ano e 6 meses, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro, foi demitida pela Cuidar, empresa que presta serviço para o plano de saúde Unimed. A família da criança, que sofria de doença neurológica, acusa a profissional, que não teve o nome divulgado, de negligência e omissão de socorro. O menino morreu uma hora e meia após ter o socorro negado, enquanto esperava outra ambulância.

A mãe de Breno, Rhuana Lopes Rodrigues, de 28 anos, prestou queixa na 16ª DP (Barra da Tijuca), que abriu um inquérito policial para apurar as circunstâncias em que o bebê morreu após não ter sido socorrido. Ela expressou revolta com a atitude da médica. “O porteiro avisou que tinha chegado [a ambulância]. Depois, ele ligou e disse que a doutora tinha ido embora. O porteiro disse que ela estava muito nervosa, gritando. Aí ela rasgou os papéis, que não era pediatra e foi embora”, contou. “Meu filho poderia estar vivo se não fosse por esse descaso”.

De acordo com a Policia Civil, agentes analisaram as imagens das câmeras de segurança e disseram que há indícios dos crimes de homicídio culposo e supressão de documento. “A delegada que presidiu o inquérito no momento do registro informou que a médica, na situação em que teriam ocorrido os fatos, era agente garantidora da vida do bebê e por isso poderá responder por homicídio culposo com aumento de pena por inobservância de regra técnica de profissão”, disse a Polícia Civil em nota.

O Conselho Regional de Medicina do Rio de Janeiro (Cremerj) abriu sindicância para apurar o caso.

Luto nas redes sociais

De acordo com o relato de Rhuana Lopes Rodrigues, mãe de Breno, a ambulância já havia chegado ao condomínio em que a família vive, na Barra da Tijuca, quando a médica da ambulância rasgou o documento com o pedido de remoção e fez a ambulância dar meia volta.

O pai da criança escreveu nas redes sociais uma despedida ao filho. “Ainda tínhamos tanto para viver. Cada momento juntos foi tão maravilhoso. Você nos trouxe tantos ensinamentos, tanto amor e tanta esperança”, escreveu Felipe Duarte. “Se soubesse o quanto todos nós te amamos.”

Em nota, a Unimed-Rio lamentou o falecimento de Breno e explicou que o serviço era feito pela prestadora Cuidar. “A Unimed-Rio lamenta profundamente o falecimento do pequeno Breno Rodrigues Duarte da Silva na manhã desta quarta-feira, 7, e vem prestando apoio irrestrito à família nesse momento tão difícil”, disse. “A cooperativa tomará todas as providências para descredenciar imediatamente o prestador Cuidar, pela postura inadmissível no atendimento prestado à criança. Além disso, adotará todas as medidas judiciais e extrajudiciais cabíveis em razão da recusa de atendimento por parte do prestador de serviço.”

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Outro dia conversei com um medico que estava em uma viajem internacional. Ele so falava de dinheiro. Reclamava que o hospital cobrava pouco pelo service que ele prestava, etc… Era so ganancia .

    Curtir

  2. Materia deveria por obrigação dar a opinião da médica e seus motivos.

    Curtir

  3. leonardo Oliveira

    Aconteceu comigo situação parecida
    Fui correndo pr o hospital
    Quem tem amor e confia em Deus tudo tende a dar certo

    Curtir

  4. Cesar8002UTB

    Haydée Marques da Silva, de 59 anos é o nome da criminosa conforme o G1, já que a Veja é muito covarde para dar o nome.

    Curtir

  5. Deve ter pegado a doença que 99% dos políticos brasileiros e parte do Judiciário tem o de exercer o cargo para si próprio e não de prestar o serviço ao qual é PAGO(A).

    Curtir

  6. Arnaldo Caldeira

    Se fosse aqui nos Estados Unidos, ela iria passar o resto da vida na cadeia.

    Curtir

  7. Osmar Serrragem

    Pode cobrar 10.000 reais por consulta e fazer botox toda semana. Só não pode cometer CRIMES! Omissão de socorro! De uma criancinha!

    Curtir

  8. Osmar Serrragem

    Gozado! Existe Lei Maria da Penha, Delegacia da Mulher, Delegacia do Idoso, mas não existe Delegacia da Criancinha! Que país…

    Curtir

  9. Osmar Serrragem

    Ninguém fala pela criancinha! Ela que se lasque! A mãe, coitada, sumiu…

    Curtir