MEC pagou youtubers para defender Novo Ensino Médio, diz jornal

Dupla de youtubers recebeu 65 mil reais e fez vídeo elogiando pontos polêmicos da proposta, sancionada nesta semana pelo presidente Michel Temer

O Ministério da Educação (MEC) pagou 65 mil reais para dois youtubers defenderem em um vídeo a Reforma do Ensino Médio, sancionada pelo presidente Michel Temer. Produzido em outubro, o vídeo, com 1,7 milhão de visualizações, não deixava claro que o conteúdo era uma uma campanha publicitária. As informações são da edição desta sexta-feira do jornal Folha de S.Paulo.

Sob aparência de espontaneidade, o vídeo reforça os principais pontos do Novo Ensino Médio, como o aumento da carga horária, e rebate as principais críticas, de que a nova fórmula vai excluir disciplinas e prejudicar o aprendizado básico como um todo, uma vez que metade do segundo grau será para o estudo de conteúdos específicos da área em que o aluno se interessa. “Você que quer trabalhar com História, não vai querer ficar perdendo tempo com célula”, diz no vídeo o youtuber Lukas Marques, um dos apresentadores do canal “Você Sabia?”.

Além de não informar ao público que ele e o colega, Daniel Miolo, receberam verbas públicas para produzirem o conteúdo, Marques ainda encerrava o vídeo justificando de outra forma a escolha do tema. “A gente achou um tema bastante interessante, estava uma galera discutindo isso nas rede sociais e a gente pensou ‘deixa com nóis, que nós explica’ [sic]”. Associado à mesma produtora que a dupla, a Digital Stars, outro youtuber, Pyong Lee, também foi pago pelo MEC para falar sobre o tema em um vídeo, segundo o jornal.

Procurado pelo site de VEJA, o Ministério da Educação não havia se manifestado até a publicação desta reportagem. A produtora Digital Stars, responsável pelos canais “Você Sabia?” e Pyong Lee, também não respondeu o pedido de entrevista.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Michel Carvalho

    (Pelo menos assim quando alguém ler manifestação desses jornalistas e afins saberá que, se concordam com o que o governo diz, também recebem dele.

    Curtir

  2. Carlos Gomes

    Polêmica ou não, a reforma está sendo feita depois de décadas de atrazo. E tudo que for feito não pode piorar mais do que está.

    Curtir

  3. Os governantes desse partido sempre foram excludentes, para eles é normal tudo isso.

    Curtir