Manobristas usavam carros de clientes, diz delegado

O manobrista Johnatan Santos emprestou um veículo a dois amigos no último sábado. Eles se envolveram em um acidente que matou duas pessoas

O manobrista Johnatan Paulino Alves dos Santos, de 22 anos, admitiu em depoimento à polícia que ele e os colegas de trabalho costumavam usar os carros de clientes de um estacionamento em Higienópolis para andar pela cidade, informou o delegado Fábio Lopes Cenachi, responsável pela investigação do caso na Delegacia de Caieiras, cidade da Grande São Paulo. No último sábado, dia 29, Johnatan emprestou o Kia Carens de uma médica de 33 anos a dois amigos que acabaram se envolvendo em um acidente que provocou a morte de duas pessoas.

“Johnatan disse que os manobristas costumavam dar uma volta com o carro dos clientes”, afirmou o delegado. “Quando tinham que conduzir o veículo de um para outro estacionamento, eles dilatavam o percurso”. Johnatan não informou, contudo, se era comum emprestar os carros dos clientes a terceiros.

O advogado do manobrista, Nelsimar Pincelli, afirmou que Johnatan nunca havia emprestado um veículo antes. “Foi a primeira vez que meu cliente emprestou um carro em oito meses de serviço”, disse Pincelli. Segundo o advogado, o manobrista disse que a prática não é comum no estacionamento em que o homem trabalhava em Higienópolis, região central de São Paulo. Pincelli informou ainda que Johnatan emprestou o veículo porque sabia que a cliente do estacionamento permaneceria trabalhando em um plantão por um longo período.

O acidente ─ No sábado, por volta das 22 horas, Johnatan emprestou a dois amigos o carro de uma cliente do estacionamento em que trabalha. Nivaldo Castro assumiu o volante. Higor Costa Araújo sentou-se no banco do passageiro. A dupla estava a caminho de uma festa, em Caieiras.

Cerca de uma hora depois, ao tentar ultrapassar uma carreta na Estrada Velha de Campinas (SSP-332), Nivaldo chocou o carro da médica contra o Fiat Palio Weekend cinza dirigido por Denise Pimentel Spera, 25, que transportava duas pessoas.

Denise morreu depois de ser socorrida. Bruno Tuon Perin, de 27 anos, morreu na hora. Ligia Maria Celeguim Tuon, de 25 anos, teve ferimentos leves. Nivaldo, sem ferimentos, fugiu do local da colisão. O motorista da carreta também omitiu socorro às vítimas. O delegado Fábio Cenachi indiciou Nivaldo, Johnatan e Higor por apropriação indébita. Nivaldo e o motorista da carreta, José Benedito dos Santos Filho, responderão por homicídio culposo e negligência.

De acordo com Cenachi, é pouco provável que os envolvidos sejam presos. “Acredito que a Justiça vá pedir o cumprimento de penas alternativas”, afirmou. Nesta quinta-feira, o delegado também informou que não há indícios de que Nivaldo estivesse embriagado.

LEIA TAMBÉM:

Manobrista empresta carro e 2 pessoas morrem

Operação flagra manobristas irregulares na V. Madalena