Justiça decreta prisão de nove acusados de saques na Barra da Tijuca

Grupo foi flagrado furtando objetos de uma concessionária de veículos na Zona Oeste do Rio

A Justiça do estado do Rio decretou a prisão preventiva de nove homens detidos em flagrante na noite da última sexta-feira, acusados de saquear uma concessionária de automóveis na Barra da Tijuca. Os saques ocorreram durante um protesto organizado por moradores do bairro. O delegado titular da 32ª DP (Taquara), Antônio Ricardo, alegou, em seu pedido, que a prisão preventiva é fundamenta para “garantir a ordem pública”, diante do risco de novos saques e atos de vandalismo.

No Rio, vandalismo causa prejuízo de 3,5 milhões de reais

Segundo a Polícia Civil, o crime foi comprovado pelo depoimento de alguns dos participantes do saque. Estão indiciados por furto, formação de quadrilha, dano ao patrimônio e corrupção de menores os seguintes acusados: Aleksandro Xavier da Conceição, de 26 anos, Alex Rosa da Conceição, 18, Matheus Teixeira de Aguiar, 18, Francisco de Assis Lemos da Silva, 19, Alexander Menezes de Carvalho, 19, Yuri de Melo Mota, 20, Romário da Silva dos Santos, 19, Jeferson Nilson Barbosa de Souza, 25 e William Costa Sobral, de 21.

Com eles estavam, no momento dos saques, cinco menores de idade. De acordo com a Polícia Civil, os presos foram capturados quando caminhavam pela avenida Abelardo Bueno. Um deles – Aleksandro da Conceição – já tinha um mandado de prisão pendente, por tráfico de rogas.

Na sexta-feira à noite a Justiça negou pedidos de prisão contra um grupo acusado de vandalismo no centro do Rio. A Justiça entendeu que as descrições feitas pela Polícia Civil nos pedidos de prisão não permitiam diferenciar os suspeitos de outros indivíduos. Os pedidos de prisão haviam sido feito com base em fotografias e descrições genéricas dos suspeitos.

Leia também:

‘Ninguém vai proteger vândalos’, diz governador do Rio

Beltrame considera acionar Exército para protestos no Rio

Com o triplo da multidão, Rio tem noite de pancadaria