Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Janot volta a pedir prisões preventivas de Aécio e Rocha Loures

Procurador-geral da República pede que o ministro do STF Edson Fachin reconsidere sua decisão e, caso não o faça, que o plenário analise as prisões

O Procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, recorreu nesta segunda-feira e pediu ao relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Edson Fachin, que reconsidere decisão tomada monocraticamente na semana passada e determine as prisões preventivas do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e do deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR). A solicitação de Janot foi feita por meio de agravo regimental. Assim, caso Fachin não volte atrás, o procurador quer que os pedidos de prisão sejam apreciados “com máxima urgência” pelo plenário do STF.

Aécio e Rocha Loures estão afastados de seus mandatos parlamentares por ordem de Fachin. Figuras centrais das delações premiadas dos executivos da JBS, o tucano e o peemedebista foram os principais alvos da Operação Patmos, deflagrada pela Polícia Federal na quinta-feira da semana passada.

Ao justificar os novos pedidos de prisão contra o peemedebista e o tucano, o procurador-geral da República acusou ambos de “uso espúrio do poder político” ao adotarem “estratégias de obstrução de investigações da ‘Operação Lava Jato'”. Em ambos os casos, Janot defende que os supostos crimes são cometidos em flagrante por crime inafiançável, única circunstância em que a Constituição permite a prisão de parlamentares no exercício do mandato.

No caso de Rocha Loures, o PGR afirma que isso se dá “especialmente em relação ao fato de que concorre para a compra do silêncio de Lúcio Bolonha Funaro e Eduardo Cunha”. Em relação a Aécio, a obstrução se daria “seja por meio de alterações legislativas para anistiar ilícitos ou restringir apurações, seja mediante interferência indevida nos trabalhos da Polícia Federal, seja através da criação de obstáculos a acordos de colaboração premiada relacionados ao caso”.

Veja também

Encarregado pelo presidente Michel Temer de encaminhar os interesses da empresa dos irmãos Batista no governo, Rodrigo Rocha Loures foi filmado pela Polícia Federal coletando uma mala com 500.000 reais em dinheiro vivo em uma pizzaria de São Paulo. O montante foi entregue pelo diretor de relações institucionais da JBS, Ricardo Saud, um dos delatores que fecharam acordos de colaboração com a PGR.

O deputado também foi gravado em conversas com o dono da JBS, Joesley Batista, nas quais ambos tratam explicitamente da compra do silêncio de Cunha (PMDB-RJ), preso em Curitiba, e de Funaro, preso em Brasília.

Já o senador foi gravado por Joesley em uma conversa em que pede 2 milhões de reais, que supostamente seriam destinados ao pagamento de honorários de seu advogado, Alberto Zacharias Toron, na Lava Jato. O senador determinou a um primo seu, Frederico Pacheco de Medeiros, a tarefa de pegar o dinheiro. Fred, como é chamado, recebeu o valor fracionado em quatro parcelas de 500.000 reais.

“Se for você a pegar em mãos, vou eu mesmo entregar. Mas, se você mandar alguém de sua confiança, mando alguém da minha confiança”, sugeriu Joesley ao tucano. “Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho”, respondeu Aécio.

A PF filmou três das entregas de dinheiro na sede da empresa, na capital paulista, também feitas por Saud. O primo do senador foi preso na Patmos, assim como a irmã e assessora do tucano, Andréa Neves.

Clique aqui e aqui para ler a íntegra dos novos pedido de prisão contra Aécio Neves e Rodrigo Rocha Loures.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Fábio Luís Inaimo

    Figura central??? que figura central? Lula e Dilma tinham uma conta no exterior de 150 MILHÕES de dólares, ELES SÃO as figuras centrais !!!! FOOOOORA PETRALHAS !!!

    Curtir

  2. Janot está atras de temer mas a figura central da delação é o Lula.

    Curtir

  3. Enquanto os batistas estiverem soltos, não vejo motivo para prender ninquem . São pesos diferentes para o mesmo crime.

    Curtir

  4. Alberto Pantaleão

    A sapientíssima PGR comandada pelo sumo sacerdote Rodrigo Janot ordenou, sem provas prestáveis, investigar o presidente da República!KKKKKKKKKKKKKKKK. Olha que Ele, Janot, estar acima dos três poderes Constitutivos, Ele é o “cara”KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Curtir

  5. Francisco Lemos

    desde as capitanias hereditarias, algumas familias sao donas de cidades inteiras. As igrejas construidas dentro das fazendas. O povo cresceu acostumado com essa situacao. o fato de aecio ter a chaves do aeroporto da cidade mostra bem isso. cartorios sao heranca dessa epoca tambem. O brasil nunca saiu da idade media.

    Curtir

  6. Pietro Muniz Giotto

    Fábio Luís Inaimo, com certeza vc viu essa notícia dos 150 milhões pela Globo, a mesma que voltou atrás e disse que Lula e Dilma não tem contas no exterior. É assim que age essa emissora inescrupulosa.

    Curtir