Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fortaleza: manifestantes e polícia entram em confronto

Protesto ocorre pouco antes do jogo entre Espanha e Itália; passeata reúne 5.000 pessoas

Manifestantes e policiais entraram em confronto nesta quinta-feira nas proximidades da Arena Castelão, palco da partida entre Itália e Espanha pela Copa das Confederações, em Fortaleza. Vândalos atiraram pedras em ônibus e a polícia respondeu com bombas de gás lacrimogêneo. Ainda não há registro de feridos nem de pessoas presas.

Os manifestantes chegaram a furar uma das barreiras montadas em torno do estádio e colocaram fogo em sacos de lixo. O protesto reúne de integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) a movimentos sociais.

Outros estados – Em Brasília, a Esplanada dos Ministérios é palco mais uma vez de protestos nesta quinta-feira. Desta vez, o movimento é coordenado pela União Nacional dos Estudantes (UNE), que convocou estudantes para protestar pela aprovação do Plano Nacional de Educação (PNE) – garantia de 10% do PIB do país investidos no ensino pública.

As vias de acesso para a Esplanada dos Ministérios estão com passagem restrita e o trânsito está bastante complicado na região. Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, por volta do meio-dia, havia cerca de 2.000 manifestantes no local.

Em São Luís, no Maranhão, três protestos ocorrem em diferentes pontos da cidade. Os manifestantes estão bloqueando duas rodovias: a BR-135, única ligação da cidade, que é uma ilha, com o continente, e a MA-203, no município de Raposa, na região metropolitana de São Luís. Também há protesto em ruas dos Vinhais, um bairro de classe média. Apesar dos bloqueios, a situação é pacífica.

Manifestantes mobilizados pelo passe livre em Porto Alegre planejam ocupar a Praça Marechal Deodoro, no centro de Porto Alegre, na noite desta quinta-feira. A programação não foi divulgada, mas há indicativos que, desta vez, a caminhada pelas ruas será trocada por debates e atos culturais como apresentações de música, teatro e dança. Mesmo assim, o comércio da região central vai fechar suas portas às 17 horas. Nas três manifestações anteriores na capital gaúcha, houve depredações e confrontos entre uma minoria de vândalos e policiais.

Em Goiânia, 300 servidores públicos, segundo estimativa da Polícia Militar, protestam contra o parcelamento da data-base pelo governo estadual. Ainda está marcada para esta quinta-feira mobilização de pequenos empresários na Praça do Trabalhador para cobrar fiscalização da prefeitura contra a concorrência desleal com ambulantes na região. Também há uma mobilização para esta tarde na Praça Universitária, ponto histórico de concentração de estudantes.

Já em Salvador, um grupo formado por 1.500 pessoas se deslocou, nesta quinta-feira, em direção à sede da prefeitura de Salvador. O objetivo é entregar uma carta de reivindicações ao prefeito ACM Neto (DEM). Os pleitos referem-se à mobilidade urbana da cidade, como estatização do transporte público, passe livre para estudantes e circulação de ônibus por 24 horas. Segundo a Polícia Militar, o movimento segue tranquilo.

(Com Estadão Conteúdo; atualizado às 17h10)