Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fiesp e Firjan defendem prioridade a transporte público

Por Glauber Gonçalves

Rio – Em um momento em que o governo mais uma vez estimula o consumo e a produção de automóveis para assegurar o crescimento da economia diante do agravamento da crise internacional, as federações das indústrias dos Estados de São Paulo e do Rio (Fiesp e Firjan) assinaram nesta terça-feira um documento que defende a prioridade ao transporte de passageiros.

O posicionamento, que traz uma série de questões relacionadas à sustentabilidade, foi entregue na segunda-feira ao vice-presidente da República, Michel Temer, e é uma contribuição das duas entidades aos negociadores brasileiros que participarão da Rio+20.

Durante entrevista à imprensa em que foi apresentado o documento, o presidente da Fiesp, Paulo Skaf, também defendeu a redução da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis e disse não ver contradição entre a medida de estímulo à compra de carros e os princípios de sustentabilidade que serão debatidos durante a Rio+20. “Sem dúvida, precisamos incentivar o transporte público, mas temos que desonerar o setor produtivo de forma linear, estimulando a geração de empregos e o crescimento da economia. Em um País que tem tanto imposto, reduzir um pouco de imposto não faz mal a ninguém”, afirmou.

Skaf criticou a lentidão da implementação de projetos de transporte público no Brasil, citando o caso dos metrôs. “A Cidade do Panamá está construindo uma linha de 14 quilômetros que vai ficar pronta em três anos”, comparou. Ele avalia que medidas como as adotadas pelo governo para alavancar o crescimento da economia tem foco no curto prazo e defende que o País tenha uma estratégias de longo prazo. “É isso que está faltando.”