Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

EXCLUSIVO: Gravação da JBS cita quatro ministros do Supremo

Em áudio, delatores também dizem que ex-assessor de Janot trabalhava para eles enquanto integrava a Lava Jato

A gravação de quatro horas que poderá levar à anulação da delação premiada dos executivos da JBS traz menções comprometedoras a quatro ministros do Supremo Tribunal Federal.

Uma dessas menções é considerada “gravíssima” pelos procuradores – embora as demais, nas palavras de quem as ouviu, também causem embaraços aos envolvidos.

Fontes com acesso ao áudio revelaram a VEJA que os ministros são citados pelos delatores Joesley Batista e Ricardo Saud em situações que denotam “diferentes níveis de gravidade”.

Algumas são consideradas até banais, mas “ruins” para a imagem dos ministros. Mas uma delas, em especial, se destaca por enredar um dos onze ministros da corte em um episódio que parece “mais comprometedor”.

A expectativa é de que o Supremo torne a gravação pública nesta terça-feira.

Joesley e Saud se gravaram durante o processo de negociação da delação premiada com a Procuradoria. Aparentemente, estavam aprendendo a operar um dos gravadores que usariam para registrar conversas com autoridades.

O áudio, diz uma fonte, indica que ambos estavam sob efeito de álcool durante a conversa – o que, de acordo com autoridades que trabalham no caso, não elimina a necessidade de investigação sobre o teor do diálogo.

Além dos ministros do Supremo, os dois delatores da JBS mencionam o ex-procurador da República Marcelo Miller, que trocou a assessoria do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por um escritório de advocacia contratado pela JBS.

Joesley Batista e Ricardo Saud dão a entender na conversa que, mesmo no período em que auxiliava Janot na Lava Jato, Miller já trabalhava para a JBS.

Por terem omitido os episódios citados na conversa durante os depoimentos prestados como parte da delação premiada, os delatores poderão ter os benefícios do acordo cassados, conforme o próprio Rodrigo Janot anunciou no início da noite desta segunda-feira em Brasília.

Os dois delatores serão ouvidos novamente pela Procuradoria para explicar os episódios a que se referem na gravação.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. E’ só baixaria uma atrás da outra. Que país deplorável!

    Curtir

  2. sonia diemer

    Querem empurrar a sujeira para debaixo do tapete? Será que é isso? A transparência onde fica? Ou será que não há ALGUÉM PARA FECHAR A PORTA É POR ISSO?

    Curtir

  3. Manuel Mescias Gomes

    Esse país é uma vergonha, que decepção, deplorável… O será dessa nação?

    Curtir

  4. Manuel Mescias Gomes

    Esse país é uma vergonha, que decepção, deplorável… O que será dessa nação?

    Curtir

  5. Osmar Serrragem

    In vino veritas…Ja diziam os romanos…

    Curtir

  6. AGNALDO MACEDO

    #justiçahipocrita Parabéns STF

    Curtir