Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Estudantes invadem escritório da presidência em SP

Manifestantes protestam contra a PEC 241, que impõe um teto para os gastos públicos e deve ser votada nesta segunda-feira na Câmara

Um grupo de estudantes invadiu nesta segunda-feira o escritório da Presidência da República em São Paulo, na Avenida Paulista, em protesto contra a votação da PEC 241, que cria um teto para as contas públicas. O Palácio do Planalto confirma a ocupação, mas, de acordo com interlocutores do presidente Michel Temer, trata-se de um “assunto de polícia”. A Secretaria de Segurança Pública do Estado já teria sido acionada, enquanto o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) está monitorando os acontecimentos.

A ocupação é organizada pela União Nacional dos Estudantes (UNE), a União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), a União Estadual dos Estudantes (UEE-SP), a União Paulista dos Estudantes Secundaristas (UPES) e outros movimentos sociais.

Leia também:
Com jantar, Temer busca votos de deputados para teto de gastos
Temer se reúne com líderes da base para discutir PEC do teto

Segundo informações divulgadas pelo movimento estudantil, o protesto reúne cerca de 80 estudantes que alegam que a PEC que “congela os gastos públicos” “vai afetar áreas sensíveis como a educação, a segurança e a saúde”.

De acordo com nota divulgada pela UNE, o objetivo dos estudantes é permanecer no interior do prédio durante toda a votação da PEC, o que deve acontecer nesta noite ou na madrugada de terça-feira.

Além do fim da PEC, os estudantes pedem o fim do projeto escola sem partido e da MP da reforma do ensino médio.

Parte dos policiais militares que acompanham a manifestação de estudantes na Avenida Paulista se deslocou para a sede regional do Banco do Brasil, onde funciona o escritório representativo da Presidência.

Segundo a assessoria de imprensa da SSP, os cerca de 300 manifestantes que estavam concentrados no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) tomaram a Avenida Paulista por volta das 17h. Quinze minutos depois, se dirigiram para o prédio do Banco do Brasil com o propósito de entregar um manifesto escrito em protesto contra a votação na Câmara da PEC 241.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Edilberto Tadeu Rodrigues

    A designação do chefe dos PTralhas “molusco”, foi ótima.

    Curtir

  2. hildo molina

    estudantes? se há algo que esses vagabundos não fazem é estudar. ou saberiam que o pt levou o brasil à pec 241, e é urgente! a hemorragia não para.

    Curtir

  3. Mauricio Reppetto

    A UNE tem que acabar, não representa nada e nem ninguém.

    Curtir

  4. Daniel Benevides

    Massa de manobra, inocentes úteis, talvez nem sabe exatamente do que trata o assunto.

    Curtir

  5. Valdeci Pinheiro de Lima

    Lamentavelmente a imprensa não usa os termos corretos. Não se trata de estudantes. No minimo “Redação Veja” deveria nomina-los de manifestantes. Ao descreve-los como estudantes esta se dando uma aura de legitimidade, de altruísmo ou coisa do bem. No final, reflete a pobreza intelectual tanto destes “estudantes” como de quem construiu a reportagem.

    Curtir

  6. Paulo Sergio Barci

    Bando de imbecís influenciados pela ideologia comunista do PT. Acordem garotos alienados!

    Curtir

  7. chamar a UNE de estudantes.. é denegrir a imagem de quem realmente estuda.. pois não passam de um bando de alunos. parasitas…….. MAMATA ACABOU…

    Curtir

  8. Marco Antônio Santos De Amorim

    Jovem é jovem! Já iniciam mal a compreensão de que “os planetas giram em torno do sol” e não o contrário!
    Vamos estudar mais e vagabundar menos?!

    Curtir