Empreiteiras e contas no exterior estão no alvo de Operação Lava Jato

Foco da investigação, após as revelações de Paulo Roberto Costa, são os pagadores de propinas, diz jornal

Após as revelações divulgadas por VEJA do ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, o próximo foco da Operação Lava Jato deve ser as empreiteiras, diretores dessas empreiteiras e contas no exterior, utilizadas para o pagamento de propinas a partir de negócios da Petrobras, segundo o jornal Folha de São Paulo.

De acordo com o jornal, esta é a conclusão de um “pool” inédito de advogados e consultores que prestam serviço às empreiteiras citadas na investigação. Em depoimento à Polícia Federal (PF), Costa deu indícios de como as contas bancárias eram abertas no exterior, além da identidade dos beneficiados dos desvios de dinheiro.

Edição deste fim de semana de VEJA trouxe os primeiros nomes de políticos citados por Costa, incluindo três governadores, um ministro e pelo menos 25 deputados federais e seis senadores, do PT, do PMDB e PP, partidos da base aliada do governo. Por enquanto, não foi revelado o nome de empresas.

Leia mais:

Corrupção na Petrobras é ‘mensalão 2’, diz Aécio

Como a delação de Costa impacta a corrida eleitoral

Oposição quer convocação imediata de Costa na CPI

Conheça os novos dos políticos citados por Paulo Roberto Costa

Os advogados e consultores que falaram à Folha não sabem como agir porque o juiz encarregado do caso, Sérgio Moro, está tendo o cuidado de impedir falhas que impeçam a continuidade do processo. A expectativa, a partir de agora, é de que a qualquer momento seja dada uma ordem de busca e apreensão nas casas e escritórios dos envolvidos. Alguns deles, segundo a reportagem, já estariam procurando fazer viagens ao exterior para evitar uma prisão inesperada.