Eike revelou que Mantega pediu R$ 5 milhões ao PT

O nome desta fase da Lava Jato, Arquivo-X, é uma referência à empresa OSX, criada pelo empresário

O empresário Eike Batista foi fundamental para a 34ª fase da Operação Lava Jato. Foi por causa de um depoimento dele, feito de forma espontânea, à Procuradoria-Geral da República e ao Ministério Público Federal, que os investigadores conseguiram provas contra o ex-ministro da Fazenda, dos governos de Lula e Dilma, Guido Mantega, preso nesta quinta-feira. O nome desta fase, Arquivo-X, é uma referência à companhia OSX, do empresário.

Além de Mantega, são alvos da operação executivos da OSX, de Eike, e integrantes da construtora Mendes Júnior. Eles são investigados por supostos desvios na construção das plataformas P-67 e P-70, da Petrobras, construídas para a exploração do pré-sal, em 2012.

Leia também:
Mantega usou cargo de ministro para favorecer amigo empresário, aponta Zelotes

A Polícia Federal tem indícios de que Mantega atuou diretamente no repasse de recursos ao PT, a fim de pagar dívidas de campanha.

O empresário disse em depoimento que, em novembro de 2012, recebeu pedido de Mantega, que era presidente do Conselho de Administração da Petrobras, para que fizesse um pagamento de 5 milhões de reais ao PT. Para operacionalizar o repasse da quantia, o executivo da OSX foi procurado e firmou contrato falso com empresa ligada a publicitários já denunciados na Operação Lava Jato por disponibilizarem seus serviços para a lavagem de dinheiro oriundo de crimes. Após uma primeira tentativa frustrada de repasse em dezembro de 2012, em 2013 foi realizada transferência de 2,3 milhões de reais no exterior, entre contas de Eike Batista e dos publicitários.

O procurador Carlos Fernando dos Santos Lima explicou na manhã desta quinta-feira que, após o pedido de Mantega, Eike ajudou a provar os fatos, e afirmou ainda que o empresário entra na investigação apenas como testemunha, não como investigado.

“Eike nega que haja uma ligação desses fatos com qualquer pagamento de propina. Entretanto, as coincidências nos levam a crer que se tratava, sim, de propina”, afirmou Santos Lima. “Ele (Eike) sabia que estavam sendo pagas propinas.”

 

 

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s