Dilma Rousseff visita vítimas da tragédia em Santa Maria

A presidente chegou do Chile, onde estava para participar da Cúpula Celac-União Europeia. O chanceler chileno, Alfredo Moreno, expressou as condolências ao Brasil

A presidente Dilma Rousseff chegou a Santa Maria, no Rio Grande do Sul, e visitou o Hospital de Caridade, um dos locais que recebeu os feridos no incêndio da boate Kiss, na madrugada deste domingo, que matou 232 pessoas e deixou 131 feridos. De acordo com informações do hospital, Dilma permaneceu no local durante cerca de 15 minutos, reunida com o governador Tarso Genro e com o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. No encontro, foi discutida a possibilidade de remoção dos casos mais graves. Dilma encontrou, na unidade de saúde, com uma das vítimas. Depois, a presidente seguiu para o Centro Desportivo Municipal (CDM), para onde os corpos foram levados.

Dilma veio de Santiago, no Chile, onde estava para participar da Cúpula Celac-União Europeia. A presidente cancelou os compromissos oficiais que tinha na capital chilena. O Chile expressou as condolências ao governo e ao povo do Brasil pelas mortes. “Gostaria de expressar as condolências ao povo e ao governo do país irmão do Brasil”, disse o chanceler chileno, Alfredo Moreno, em um pronunciamento realizado durante a cúpula.

Moreno disse que o incêndio na boate Kiss é uma das principais tragédias que afetaram a região nos últimos tempos. “Isso não somente enluta todo o país irmão do Brasil, mas todos os países”, afirmou Moreno, que lamentou que “tanta gente jovem tenha sido afetada por uma tragédia tão imensa”.

O chanceler afirmou que o presidente Sebastián Piñera conversou sobre a tragédia com a presidente Dilma antes de ela deixar a capital chilena com destino a Santa Maria. Moreno acrescentou que o incêndio no Brasil não modificará a programação da Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) e a União Europeia, mas lamentou a ausência de Dilma.

Governo estadual – O governo do Rio Grande do Sul emitiu comunicado em que afirma ter disponibilizado todos os recursos necessários para dar o apoio às vítimas. “Foram mobilizados todos os recursos dos órgãos estaduais das áreas da segurança pública, da saúde e dos demais órgãos estaduais, que estão atuando de forma conjunta e coordenada”, destaca comunicado. As equipes estão atuando sobre os efeitos do desastre, para cuidar dos feridos, amparar as famílias e realizar as ações de natural legal, técnico-pericial e administrativa.

Na nota, o governo gaúcho lamentou as vítimas do incêndio, que “ceifou a vida de dezenas de jovens, produziu lesões em tantos outros, enluta os familiares e amigos de todos e deixam consternados os gaúchos e brasileiros”. O governo reiterou ainda o pedido às autoridades de todos os órgãos públicos que mantenham as equipes mobilizadas.

LEIA TAMBÉM:

Ouvi uma menina gritar fogo e corri’, conta sobrevivente de incêndio

Fotógrafa da boate Kiss relata o pânico no momento das chamas

Alvará da boate Kiss estava vencido, afirmam bombeiros

Fotógrafa da boate Kiss relata o pânico no momento das chamas

‘Ouvi uma menina gritar fogo e corri’, conta sobrevivente de incêndio