Desmatamento na Mata Atlântica é o maior desde 2008

Com só 8,5% da área original, bioma perdeu mais 235 km² entre 2011 e 2012

A taxa de desmatamento da Mata Atlântica voltou a crescer e o bioma, um dos mais ameaçados do Brasil, registrou a maior destruição desde 2008. Levantamento realizado entre 2011 e 2012 mostra que no período foram destruídos 235 km² de cobertura florestal, vegetação de restinga e mangues da mata – uma área maior do que a superfície do município de Santo André, no ABC paulista.

O levantamento foi realizado pela ONG SOS Mata Atlântica e pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e consta no Atlas dos Remanescentes Florestais da Mata Atlântica, que é elaborado a partir de imagens captadas por satélites.

Leia também:

Imagens inéditas de aves em extinção na Mata Atlântica

Ocupação da Mata Atlântica tornou sementes menores

Mata Atlântica

Destruição em 2010-2011: 140 km²

Destruição em 2011-2012: 235 km²

Crescimento em estados monitorados: 29%

Estados líderes em desmatamento

em 2011-2012

Minas Gerais: 107 km²

Bahia: 45 km²

Piauí: 26 km²

No último estudo, realizado entre 2010 e 2011, a taxa anual de desmatamento havia registrado a destruição de 140 km² de mata atlântica. O levantamento deste ano não conseguiu monitorar todos os 17 estados que são cobertos pelo bioma, mas a comparação entre dez estados (BA, ES, GO, MG, MS, PR, RJ, RS, SC e SP) que foram avaliados regularmente entre 2008 e 2011 mostra que houve um crescimento de 23% no desmatamento desde 2008. Já desde o levantamento o último levantamento de 2010 e 2011, o desmatamento aumentou 29%.

Hoje, a mata atlântica possui apenas 8,5% da sua cobertura original.

Líder – O estado líder em desmatamento, tal como ocorreu em levantamentos anteriores, continua sendo Minas Gerais. O estado, que possui uma das maiores coberturas remanescentes da mata do país (10,4% do total) foi responsável por quase metade da destruição ocorrida entre os estados que possuem o bioma: 107 km². Houve um crescimento de 70% em relação à área destruída entre 2010 e 2011.

Em segundo lugar no ranking aparece a Bahia, que perdeu 45 km² de floresta nativa. O Piauí, que foi monitorado pela primeira vez, perdeu 26 km² e já passou a figurar no terceiro lugar do ranking.

Já o Paraná apareceu em quarto, com 20 km² perdidos no período. Segundo o levantamento, o estado se destacou negativamente no levantamento porque registrou um aumento de 50% na taxa de desmatamento com relação a 2010 e 2011. Entre os destaques positivos aparecem o Espírito Santo e Mato Grosso do Sul, que tiveram redução na taxa de desmatamento de 93% e 92% respectivamente.

Nos últimos 27 anos, a Mata Atlântica perdeu um total de 18.269 km² – área equivalente a doze cidades de São Paulo.