Autorização para depoimento de Temer à PF nas manchetes do dia

Ministro Edson Fachin autorizou que o presidente preste depoimento por escrito no inquérito da delação da JBS

A autorização do ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF, para que o presidente Michel Temer (PMDB) preste depoimento à Polícia Federal no inquérito da delação da JBS está nas manchetes dos principais jornais nesta quarta-feira. O presidente terá 24 horas para responder por escrito e o inquérito terá de ser concluído em dez dias. Jornais destacam ainda que Osmar Serraglio (PMDB-PR) recusa Ministério da Transparência e deixa Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) sem foro especial.

O Globo
Temer não quer responder à PF sobre áudio de Joesley
O ministro Edson Fachin deu 24 horas para Temer responder, por escrito, às perguntas da PF no inquérito aberto contra ele. A defesa do presidente, porém, diz que ele não quer ser questionado sobre a gravação de Joesley Batista até a conclusão da perícia. O governo agora estuda forma de garantir foro especial para Rocha Loures, que recebeu a mala da propina e planeja fazer delação.

O Estado de S.Paulo
Temer terá de depor à Polícia Federal; Loures perde foro
Temer é investigado por obstrução da Justiça, corrupção passiva e organização criminosa. Fachin ainda atendeu parcialmente a pedido dos advogados do presidente e determinou que o senador afastado Aécio Neves responda a inquérito separado. O ministro, no entanto, manteve o deputado Rodrigo Rocha Loures no inquérito de Temer.

Folha de S.Paulo
STF autoriza e Temer vai depor à PF em inquérito
O procurador-geral, Rodrigo Janot, busca denunciar Temer com base em dinheiro entregue pela JBS ao deputado afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), ex-assessor do presidente. Com a volta à Câmara de Osmar Serraglio (PMDB-PR), que deixou o Ministério da Justiça e recusou o da Transparência, Rocha Loures, que é suplente, perde a vaga de deputado. A decisão atrapalha a estratégia de Temer de blindar o ex-assessor, agora sem foro privilegiado.

Palocci negocia prisão domiciliar para delatar Lula
Preso desde setembro do ano passado, o ex-ministro Antonio Palocci negocia em acordo de delação premiada com a Lava Jato o cumprimento de pena de um ano em prisão domiciliar. Ele pretende concentrar seus depoimentos no ex-presidente Lula, além de banqueiros e empresários.

Valor Econômico
Temer faz pacto com FHC para votar reformas
Incomodado com as articulações do PSDB para sucedê-lo no cargo por meio de eleição indireta, o presidente Michel Temer se reuniu com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), que preside a sigla. Temer fechou acordo com os tucanos para votar a reforma da Previdência e, apenas depois disso, tratar da sucessão.

Jornal do Commercio
Refazendo os caminhos
Governo federal libera R$ 20,5 milhões para auxílio imediato a vítimas das enchentes no Agreste e na Mata Sul do Pernambuco. Na terça-feira, Estado retirou condição de calamidade e decretou emergência em 24 cidades.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Este ministro está indo “além de suas sandálias”… não são de sua atribuição decidir monocraticamente sobre qualquer assunto referente à Presidência. Tem que levar ao plenário do STF!

    Curtir

  2. Que farsa é essa? Os advogados do cara vão responder algumas perguntas por escrito?

    Curtir

  3. Paulo Bandarra

    Marmelada. E ainda criticam Fachin que o protege.

    Curtir