DELAÇÃO-BOMBA: O depoimento de Duque a Moro foi só o começo

As provas que o ex-diretor da Petrobras pretende entregar à Justiça implodem o que restou da antiga cúpula do PT

O depoimento prestado pelo engenheiro Renato Duque, ex-diretor de Serviços da Petrobras, ao juiz Sergio Moro na última sexta-feira foi apenas uma demonstração do que o principal operador do PT no petrolão pretende entregar à Justiça, caso consiga assinar o acordo de delação premiada com a força-tarefa da Operação Lava-Jato. Renato Duque ingressou na Petrobras em janeiro de 2003, início do primeiro mandato de Lula. Saiu da companhia em meados de 2012, na metade do primeiro mandato de Dilma Rousseff. Em quase uma década, encarnou o papel de um competente e discreto gestor de milionárias propinas para o PT.

Ao juiz Sergio Moro, Duque contou que o dinheiro sujo que jorrava dos contratos da Petrobras abasteceu as contas partidárias do PT e os bolsos de petistas coroados como José Dirceu, Antonio Palocci e o próprio Lula. Mas a lista de beneficiários é ainda maior, como atestam os documentos que o ex-diretor pretende entregar aos investigadores. A edição de VEJA que chega às bancas neste fim de semana oferece um aperitivo das revelações de Renato Duque. Encontros sigilosos no Palácio do Planalto, documentos, fotografias e registros de viagens fazem parte de um inventário da corrupção que está prestes a ser aberto.

Para ler a reportagem na íntegra, compre a edição desta semana de VEJA no iOS, Android ou nas bancas. E aproveite: todas as edições de VEJA Digital por 1 mês grátis no Go Read.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. youmetubeyou

    Entraram 300 milhoes na conta do Paulo Roberto mas não tem provas de como entrou nem o recibo bancario o banco não guarda?quem vendeu as obras de arte? o recibo, o imposto de renda, juiz não tem que apresentar provas a sociedade do mesmo modo que mostra as delações?

    Curtir

  2. Fábio Rui Silva

    Porque no te callas?
    Incinerador de Roma.

    Curtir

  3. Julio Rodrigues Neto

    Conta tudo, Duque.

    Curtir

  4. Oscar Pereira Leite Jr.

    Crimes não são praticados para deixar provas e sim para escondê-las. Tem gente que acha que o Moro vai receber um malote do céu cheinho de recibos e confissões para poder prender os maiores corruptos nezte paiz…

    Curtir

  5. Walter Donizety

    O Lula ladrão ainda dá um de coitadinho, tirando uma com a cara do povo e da justiça!

    Curtir

  6. Leandros Parker

    Penso que o juiz Moro deveria fazer mais perguntas específicas sobre as revelações que fazem os depoentes se eles mencionam alguém indiretamente, o juiz deve perguntar quem é esse alguém,caso não tenha foro especial. Quando Duque mencionou o encontro com Lula no aeroporto de Congonhas, deveria ser perguntado em que parte do hangar houve o encontro; num escritório, numa determinada sala, alguém presenciou o encontro, Lula chegou como, sozinho, acompanhado, alguma camara do hangar, filmou?

    Curtir