Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Decisão do TSE sobre chapa Dilma-Temer nas manchetes do dia

Relator Herman Benjamin vê indício de abuso de poder político e econômico e indica voto pela cassação da chapa, mas deve ser derrotado na Corte

O julgamento sobre a cassação da chapa Dilma-Temer, que deve ser concluída nesta sexta-feira pelo TSE, está nas manchetes dos principais jornais do país. Com base nas manifestações feitas pelos ministros, o placar final tende a ficar em 4 a 3 pela absolvição dos políticos. O relator do processo, ministro Herman Benjaminvê indício de abuso de poder político e econômico e indica voto pela cassação da chapa, mas a maioria do TSE sinaliza tendência contrária.

O Globo
‘A razão é uma só: arrancar toda a prova da Odebrecht’
O TSE indicou que, por 4 votos a 3, vai rejeitar as revelações feitas nas delações da Odebrecht e dos marqueteiros João Santana e Mônica Moura, as provas mais incisivas do processo de cassação da chapa Dilma-Temer. O relator, ministro Herman Benjamin, protestou: “A razão (das argumentações da defesa e do presidente da Corte, Gilmar Mendes) é uma só: é arrancar (do processo) toda a prova relativa à Odebrecht.”  

O Estado de S.Paulo
Ministros sinalizam vitória de Temer no julgamento do TSE
O desfecho favorável ao Planalto foi desenhado na manhã de quinta-feira, quando os ministros Gilmar Mendes, presidente da Corte Eleitoral, Napoleão Nunes Maia, Admar Gonzaga e Tarcísio Vieira defenderam a exclusão de provas apresentadas pelas delações da Odebrecht e dos marqueteiros João Santana e Mônica Moura. Para Herman Benjamin, mesmo sem as provas, há indícios de abuso de poder. 

Folha de S.Paulo
Relator indica abuso e pede cassação de Temer
Para Herman Benjamin, a campanha que elegeu Dilma (PT) e Temer (PMDB), em 2014, foi abastecida por dinheiro desviado da Petrobras. Para ele, havia “poupança ilícita acumulada ao longo dos anos” pelos dois partidos, uma “propina-gordura”. O relator enfrentou, porém, resistências na corte.

Valor Econômico
Investimento pode cair pelo 4º ano consecutivo
A crise política que envolve diretamente o presidente Michel Temer aumentou as chances de o investimento da economia encolher pelo quarto ano consecutivo

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Leandros Parker

    Certamente decepcionará e frustará a sociedade.

    Curtir