Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cinegrafista ferido em manifestação continua em estado grave

Internado em CTI, Santiago Andrade teve afundamento do crânio. No domingo, grupo provocou colega do profissional, que reagiu, atingindo manifestante com câmera

O cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Andrade, ferido durante manifestação no Rio de Janeiro na semana passada, continua em estado grave, segundo informação da Secretaria Municipal de Saúde nesta segunda-feira. De acordo com a Secretaria, Andrade continua no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Souza Aguiar e seu quadro de saúde não apresenta melhora.

Andrade foi atingido na cabeça por um explosivo, quando fazia a cobertura de manifestação contra o aumento do valor da passagem de ônibus no Rio, na última quinta-feira. Ele teve afundamento do crânio e perdeu parte da orelha esquerda.

Ameaças – Um cinegrafista da Bandeirantes agrediu um manifestante neste domingo, no Rio de Janeiro, após ter sido ameaçado pelo rapaz de “ser o próximo”, em uma referência ao profissional da emissora ferido gravemente na última quinta-feira. A confusão aconteceu durante a visita de um grupo de jovens à delegacia de São Cristovão onde está detido o tatuador Fábio Raposo, que admitiu ter passado o rojão que feriu o cinegrafista para outro manifestante.

Leia também:

Manifestante teria dito que responsável pelo rojão é ligado a Marcelo Freixo

Rapaz preso por rojão diz que vai colaborar com a polícia

Advogado tenta convencer rapaz que entregou rojão a aceitar delação premiada

Ao chegarem ao local para prestar solidariedade a Raposo, os manifestantes pediram para não serem filmados, mas não foram atendidos pelos cinegrafistas. Irritados, os jovens passaram a xingar os profissionais. A militante Elisa Quadros, conhecida como Sininho, chamou os jornalistas de “carniceiros”, enquanto um rapaz identificado apenas como Yan afirmou: “Os próximos serão vocês”. Diante da ameça, o cinegrafista Leandro Luna, que estava a serviço da Bandeirantes, reagiu e agrediu o manifestante com sua câmera, deixando Yan com um ferimento na cabeça.

A polícia teve de intervir e levou o grupo para a delegacia para prestar depoimento. Segundo a Polícia Civil, foram registrados dois boletins de ocorrência: um em que Luna acusa Yan de ameaça e outro que apura a lesão corporal de Luna contra o manifestante. O caso será encaminhado ao Juizado Especial Criminal.