Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Chuva derruba árvores e fecha estações do metrô de BH

Por Marcelo Portela

Belo Horizonte – Um temporal, acompanhado de descargas elétricas e fortes rajadas de ventos, levou o caos a Belo Horizonte e cidades do entorno da capital mineira na tarde de hoje. A chuva causou queda de energia em toda a cidade, além de municípios da região metropolitana como Contagem, Betim, Nova Lima e Santa Luzia.

Além da energia, que foi restabelecida aos poucos a partir do fim da tarde, a telefonia também foi afetada pela tempestade e clientes de todas as operadoras tiveram dificuldades para conseguir completar ligações. Até mesmo o telefone de emergência da Defesa Civil ficou fora do ar.

Sem semáforos, o tráfego parou na maior parte da capital. A situação foi agravada pela queda de várias árvores e placas de trânsito. Algumas árvores fecharam completamente parte das principais vias da cidade, como a Contorno, que teve o trânsito totalmente interditado na altura da Savassi, na região centro-sul de Belo Horizonte.

O metrô também parou de funcionar. Todas as estações foram fechadas por causa da falta de energia. Já o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, operou com gerador próprio, mas terminais bancários pararam e lojas fecharam as portas. No fim da tarde, quatro voos registravam atraso.

Segundo a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), houve uma falha no sistema de transmissão da empresa, que afetou as regiões central e leste do Estado às 15h50. Na região metropolitana da capital, o problema coincidiu com o temporal, mas as causas da falha ainda estão sendo apuradas e ela não foi necessariamente causada pela chuva.

Segundo a assessoria da Cemig, o restabelecimento progressivo do sistema de transmissão teve início nove minutos após a falha, sob coordenação do Operador Nacional do Sistema (ONS), mas, no início da noite, parte de Belo Horizonte e de municípios da região metropolitana, como Betim, Contagem e Matozinhos, continuavam às escuras.

No BH Shopping, o maior da capital, também na região centro-sul, parte do teto do 4º andar desabou. Segundo clientes que estavam no estabelecimento – localizado em área nobre de Belo Horizonte -, houve muito susto e correria no momento, mas ninguém se feriu. “Foi um estrondo enorme. Todo mundo saiu correndo achando que estava desabando tudo”, contou uma das lojistas. O shopping continuou funcionando com gerador, mas parte dos comerciantes preferiu fechar as portas.

Em Ribeirão das Neves, também na região metropolitana da capital, o telhado da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Justinópolis desabou e atingiu algumas pessoas que aguardavam atendimento. Segundo o Corpo de Bombeiros, porém, nenhuma das vítimas foi ferida com gravidade. Ainda de acordo com os bombeiros, foram registrados alguns acidentes com vítimas durante o temporal, mas, no início da noite, ainda não havia registro de vítimas em estado grave.