Chacinas na Grande São Paulo: assassinatos correspondem a quase 50% das mortes do semestre

Os 18 assassinatos nas chacinas de Osasco e Barueri, ocorridas na madrugada da última sexta-feira, correspondem quase à metade dos registros de assassinatos de todo o primeiro semestre nas duas cidades da Grande São Paulo: 37. No período, foram 30 mortes em Osasco e 7 em Barueri.

A média mensal de crimes nos últimos cinco anos nas duas cidades é de 7,8 homicídios. Dados da Secretaria da Segurança Pública mostram que a região registrou o maior índice de homicídios em 2012, com 87 mortes em Osasco e 39 em Barueri. Enquanto em Osasco a média mensal de homicídios dolosos caiu de 7,3, naquele ano, para 5, em 2015, em Barueri, a média foi de 3,3 para 1,2.

Com os casos recentes, contudo, esses municípios já atingiram a marca de 56 homicídios neste ano – 65% de todo o ano de 2014. Na região da Grande São Paulo, que inclui as cidades de Cotia, Carapicuíba e Itapevi, a média mensal de homicídios dolosos caiu 1% em cinco anos – eram 14,6, em 2010, e, neste ano, 14,5.

Outros índices, no entanto, cresceram. Houve maior número de roubos, além de furtos e roubos de veículos. A média mensal da região cresceu, respectivamente, 77% e 36% nesses índices de 2010 a 2015.

No período analisado, esses municípios registraram 1.160 homicídios dolosos, 5.800 furtos e roubos de veículo e 8.902 roubos. Osasco foi a cidade que registrou mais homicídios na região nesse período, com 400 ocorrências. Ao longo de cinco anos e meio, o número de roubos cresceu 91% ao mês e o de furto e roubo de veículos, 30%.

Itapevi foi a cidade que registrou maior aumento na média de homicídios dolosos. O dado saltou 19% na média mensal dos cinco anos, de 2,25 para 2,70 casos. Carapicuíba também registrou aumento, de 2%. Já a maior queda ocorreu em Cotia, que registrou 20% menos homicídios.

(Com Estadão Conteúdo)