Center Norte fecha acordo com Ministério Público

Centro de compras terá vinte dias para instalar drenos de dispersão do metano existente no subsolo. Gás oferece risco de explosão

A administração do Shopping Center Norte fechou um acordo com o Ministério Público estadual (MP-SP), na tarde desta quarta-feira. O objetivo do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), um acordo com validade judicial, é minimizar o risco de explosão na área do centro de compras.

Erguido em 1984, o Center Norte fica sobre um antigo aterro sanitário onde foi detectada a presença de metano, gás que não é tóxico, mas pode explodir com fagulhas quando em concentrações de 5% a 15% do ambiente. As medições foram feitas pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).

Na terça, a Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente determinou a interdição do estabelecimento em 72 horas. O prazo se encerra na manhã da próxima sexta-feira e, de acordo com o MP-SP, não é afetado pelo acordo.

Leia também:

Leia também: Center Norte vai recorrer à Justiça contra a interdição

Manutenção – Pelos termos do TAC, o Center Norte terá vinte dias para instalar nove drenos que facilitarão a dispersão do gás. Em caso de descumprimento, será aplicada uma multa diária de 100 000 reais. Até áreas internas terão que receber o dispositivo, já que há risco de infiltração do gás por trincas na laje. Também será necessária a apresentação do plano de monitoramento exigido pela Cetesb, que se estenderá ao Lar Center, que fica no mesmo terreno.

A administração do shopping informou, por meio de nota, que o TAC não impede as medidas legais para evitar a interdição do estabelecimento. A prefeitura de São Paulo disse que até o início da noite não havia sido comunicada sobre o acordo pelo Ministério Público. A Cetesb afirmou, por meio de sua assessoria, que manterá suas exigências e a multa diária de 17.450 reais, em vigor desde o último dia 19.