Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Caminhoneiros bloqueiam Fernão Dias, Anchieta e Castello Branco

Rodoanel de São Paulo também foi fechado por manifestantes; bloqueios em rodovias foram organizados por entidade

A segunda-feira começou com novos protestos pelo Brasil. Desta vez, as manifestações acontecem nas rodovias federais e estaduais.

Na rodovia Castello Branco, em Itapevi, na região metropolitana de São Paulo, caminhoneiros realizam desde 5h um bloqueio para protestar contra os preços do pedágio e dos combustíveis. Segundo a concessionária há registro de lentidão entre os quilômetros 35 e 30, no sentido capital, e 24 ao 30 no sentido interior. Outro protesto interrompeu o trânsito na Anchieta, que liga a capital à Baixada Santista, na altura do quilômetro 23, em São Bernardo do Campo.

Leia também:

Segundo protesto no Rio perde ar pacífico e parte para o confronto

Caminhoneiros também bloqueiam a Fernão Dias (BR-381) em três diferentes trechos – em Igarapé, na região Metropolitana de Belo Horizonte; e em João Monlevade e São Gonçalo do Rio Abaixo, cidades distantes cerca de 100 quilômetros da capital mineira.

Já no Rodoanel de São Paulo, um protesto em Itapecerica da Serra bloqueia o tráfego na altura do quilômetro 45. Há registro de congestionamento entre os quilômetros 40 e 46.

Paralisação – Os bloqueios na Castello Branco e na Fernão Dias foram convocados pelo Movimento União Brasil Caminhoneiro (MUBC), uma das entidades que representam a categoria.

No domingo, a Advocacia-Geral da União (AGU) conseguiu liminar que impede o MUBC de realizar manifestações que interrompam o tráfego nas rodovias federais. A decisão vale para todo o Brasil. O descumprimento pode render multa de 10.000 reais por hora para o MUBC. O movimento realizou uma convocação no fim de semana para uma paralisação geral de 72 horas, com início nesta segunda-feira e previsão de término na quarta-feira.

(Atualizado às 10h10)