Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Após gravação de Temer, relator suspende Reforma Trabalhista

Senador do PSDB, Ricardo Ferraço defende que prioridade do Congresso Nacional é dar uma solução para a crise institucional

O discurso de aliados do presidente Michel Temer, de que as revelações da delação premiada do empresário Joesley Batista não vão comprometer o andamento das reformas econômicas, começou a ruir. No final da manhã desta quinta-feira, o relator da Reforma Trabalhista no Senado, Ricardo Ferraço (PSDB-ES), anunciou, em nota à imprensa, a suspensão da tramitação do projeto no Congresso até a conclusão da crise institucional.

“A crise institucional que estamos enfrentando é devastadora e precisamos priorizar a sua solução, para depois darmos desdobramento ao debate relacionado à reforma trabalhista”, afirmou o parlamentar. Ferraço acrescentou que “não há como desconhecer um tema complexo como o trazido pela crise institucional. Todo o resto agora é secundário.”

Projeto com fortes resistências de sindicatos e movimentos sociais, a reforma consiste em um conjunto de medidas de alteração da legislação trabalhista, centrado no privilégio das negociações entre patrões e empregados, que passariam a ter valor de lei. Ao lado da Reforma da Previdência, é uma das propostas-símbolo do governo do presidente Temer.

Nesta quarta-feira, o jornal O Globo divulgou trechos da delação premiada de Joesley Batista, do grupo JBS. O empresário entregou aos procuradores uma gravação em que o presidente da República dá aval ao pagamento de propina ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), para que ele não fizesse um acordo de delação premiada com a Operação Lava Jato.

Temer também é acusado de ter indicado o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) como o recebedor de vantagens ilícitas supostamente associadas a um benefício concedido pelo presidente para a JBS. Rocha Loures foi gravado pela Polícia Federal recebendo uma mala da empresa contendo 500 mil reais.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Tiburtino Lacerda

    Taí uma coisa BOA, que aconteceu! As reformas de Temer, são apenas para ACABAR com os direitos dos trabalhadores.Agora, que está parecendo que já deram descarga, pra ele, talvez a coisa melhore, para os trabalhadores brasileiros.

    Curtir

  2. Wesley dos Santos Caiapó

    A Câmara e o Senado, bem como o Presidente da República PROVARAM QUE NÃO TÊM LEGITIMIDADE E MORAL para conduzir mudanças que afetam a vida dos brasileiros de forma tão radical. Todos eles são GIGOLÔS de empreiteiras e multinacionais. Como querem que nós acreditemos que as reformas não são uma ENCOMENDA dos donos do dinheiro? Quando será que está rolando de PROPINA para aprovarem essas reformas? Pelo tamanho do estrago e do lucro que as organizações terão, certamente o rio de dinheiro lamacento é bem grande.

    Curtir

  3. Vladimir Gonçalves

    Essas “deformas” para a escravização dos brasileiros, é pressão do Banco Mundial. Temer tem estado com banqueiros do Banco Mundial, dando explicações sobre o andamento das “deformas” trabalhista e previdenciária.
    Eles querem dinheiro, e o rombo que eles alegam, não é da previdência, mas sim do governo do qual o Temer foi Vice.
    Hoje, não se comentam mas do rombo que o governo deixou, e hoje o Temer repassa esse rombo para a previdência.
    Será que ninguém lembra mais disso? Que o governo Lula, e Dilma com o Temer vice, deixaram esse rombo de quase R$ 200 bilhões?
    E nunca falaram em rombo da previdência, a não ser logo após o Temer assumir o desgoverno.
    É mais fácil retirar do trabalhador, que só quer saber de futebol e assistir os programas idiotizadores da TV, e não querem saber do próprio futuro, e até hoje não entenderam nada do que se passa na política, muito menos lembram do anúncio do rombo nas contas públicas.
    Por não terem mentes acostumadas a raciocinar e pensar, aceitaram que colocassem o rombo na conta da previdência, que tem superavit de bilhões.
    Por isso o Ministério da Previdência foi extinto, e quem administra a Previdência é o ministério da Fazenda, com o ministro Henrique Meirelles.

    Curtir

  4. RUBENS LOPES SOUZA

    Quero vê qual desses políticos safados, tem coragem de prosseguir com essas reformas. E, se eles estivessem interessados no crescimento do Brasil, e as reformas que segundo eles são boas porque parar? São boas pra quem? Tem uma propaganda na tv que, segundo pesquisas, 72% da população aprovam as mudanças no ENEM, e porque houve um número de inscrições menor? Quem foram ouvidos nessa pesquisa? Quem fez?

    Curtir

  5. José Antonio Debon

    É isso que esse bando de vagabundos quer, travar as reformas e salvar privilégios de parlamentares altos funcionários públicos,sindicalistas, etc….

    Curtir

  6. Os que tem motivo para comemorar sao:Os sindicalistas,que vao continuar arrecadando ,e a familia Wesley,que desfalcou o BNDS,fugiu ,e de quebra acabou de afundar o Brasil .
    Lembrando que essa bandidagem de doaçao de dinheiro de BNDS é coisa da organizaçao criminosa petista.
    Em tempo…A mulher do ”bonitao”Wesley tb se deu bem,,pois de simples jornalista da Band,se tornou esposa de um bilhonário,com direito a cartao de crédito ilimitado,para gastar na 5quinta avenida em Nova York.
    Durma-se com um barulho desse.

    Curtir