Após dia de caos, policiais encerram greve em PE

Estado viveu momentos de pânico, com onda de saques, arrastões e homicídios; homens da Força Nacional e do Exército seguirão nas ruas

Depois de um dia de pânico nas ruas de diversas cidades de Pernambuco, com saques, arrastões e oito homicídios registrados na madrugada em Recife, policiais militares e bombeiros encerraram na noite desta quinta-feira a greve.

O fim da paralisação não foi unânime, mas os policiais deverão voltar ao trabalho na manhã desta sexta. Os grevistas conseguiram quatro reivindicações: 1) gratificação do chamado risco de morte será incorporada ao salário, o que representa aumento de 500 reais ao salário base; 2) elaboração de plano de carreira; 3) reestruturação do Hospital da Polícia Militar; e 4) pagamento da terceira parcela, em junho, do aumento salarial de 14%, negociado em 2011.

Os PMs e bombeiros pediam aumento salarial de 50% para soldados a subtenentes, e de 30% para oficiais. Atualmente, um soldado da PM recebe salário de 2.409 reais. O governo pernambucano argumentou que não pode negociar reajuste salarial já que a legislação impede esse tipo de promoção no período de 180 dias antes das eleições.

Tropas da Força Nacional de Segurança e do Exército que foram enviadas para o Estado seguirão patrulhando as ruas. Em nota, o Ministério da Justiça afirmou que “a população do Estado não pode ficar desprotegida e refém de interesses corporativos”. O ministro José Eduardo Cardozo esteve reunido na noite desta quinta com o governador de Pernambuco, João Lyra Neto, e com o comandante das Forcas Armadas, General De Nardi, para discutir o assunto.

Na noite de quarta-feira, antes da madrugada tensa em Recife, o Tribunal de Justiça havia declarado que a greve era ilegal.

A quinta-feira foi de caos em Recife: com medo de assaltos, comerciantes fecharam as portas e turistas foram orientados a permanecerem nos hotéis. As ruas do centro da capital pernambucana ficaram vazias. Lojas e caminhões foram saqueados. Escolas estaduais encerraram as aulas às 17 horas. O município de Abreu e Lima, na região metropolitana, chegou a decretar ponto facultativo. No total, 234 pessoas foram detidas no Estado, e 102 autuadas em flagrante.

Campos – Depois de ser criticado por seus seguidores do Facebook por postar foto em jatinho em meio ao caos de Pernambuco, o candidato à Presidência da República pelo PSB, Eduardo Campos, divulgou nota pedindo “bom senso” e dizendo que estava monitorando a situação de seu Estado de origem a distância. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a foto foi retirada após alguns seguidores criticarem a postura do candidato. Desde que deixou o governo do Estado em abril para se preparar para a campanha, Campos está vivendo em São Paulo.